Topo

Futebol


Tite admite que seleção precisa de "ajustes"; veja quem pode ganhar espaço

Fabinho avança com a bola em amistoso da seleção brasileira contra a Argentina em Riad - Pedro Martins / MoWA Press
Fabinho avança com a bola em amistoso da seleção brasileira contra a Argentina em Riad Imagem: Pedro Martins / MoWA Press

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

16/11/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Tite admite que o Brasil precisa mudar e promete refletir sobre "posicionamentos e desempenhos individuais"
  • O técnico testou diversas formas de tentar criar jogadas no segundo tempo e não teve sucesso
  • Mesmo assim, ao menos dois jogadores ganharam pontos com Tite e podem ganhar mais tempo: Fabinho e Renan Lodi
  • Treinador acredita que Paquetá ainda vai evoluir e confia que Rodrygo terá "história linda" na seleção

Tite já admite: a seleção brasileira precisa de ajustes. A derrota para a Argentina por 1 a 0 na tarde de ontem, na Arábia Saudita, representou o quinto jogo seguido sem uma vitória, sequência não acontecia desde 2013. Em sua declarada busca por "reinvenção", alguns novos atletas podem ganhar espaço. A questão é saber se isso já vai acontecer no último jogo da temporada para a equipe, na terça-feira (19), contra a Coreia do Sul, em Abu-Dhabi (Emirados Árabes Unidos).

O treinador tentou diversas alternativas durante o segundo tempo da derrota para os rivais sul-americanos, mas não teve sucesso: seu time foi pouco ameaçador. No entanto, ao menos dois atletas parecem ter convencido Tite de que merecem mais atenção, talvez já contra os coreanos: o volante Fabinho, do Liverpool, e o lateral-esquerdo Renan Lodi, do Atlético de Madri.

"Vou refletir em cima de posicionamentos e desempenhos individuais. Aqueles atletas que entraram bem, dentro de uma condição técnica boa, vamos procurar ajustar. Por exemplo Fabinho e Lodi entraram bem, tu começa a ter versatilidade, não to dizendo que eles vão jogar. Quando trouxemos dois meio-campistas consolidados e deixamos o Firmino para chegar na frente, ele trouxe um up. Vamos projetar o próximo jogo com desempenho, efetividade e resultado", disse em entrevista coletiva.

No clássico de ontem, o técnico da seleção já fez mudanças. O defensor Éder Militão, do Real Madrid, e o meia Lucas Paquetá, do Milan, ganharam chance no time titular. Para Tite, Militão fez um jogo seguro. Paquetá ainda está devendo, mas conta com sua confiança pública.

"Militão é jogador de velocidade, imposição, está em uma crescente e já tem uma sequência de convocações, amadurecendo cada vez mais. Tem que ter calma em relação ao Paquetá. Jogo difícil, de contato, talvez os dois primeiros movimentos dele, de erro de passe, tenham tirado a confiança dele. Procurei trazer ele pro lado, que ele faz, deixar o Gabriel mais agudo e trazer o Firmino para trás. Mas é com calma, Paquetá é um grande jogador e vai ter a condição de evoluir tal qual no Milan", afirmou.

Pedro Martins / MoWA Press
Imagem: Pedro Martins / MoWA Press

Tite também falou sobre a estreia de Rodrygo. A revelação do Santos, que chegou recentemente ao Real Madrid, entrou já perto dos 30 minutos do segundo tempo e pouco participou do jogo. O comandante brasileiro acredita que o jovem atleta de apenas 18 anos terá uma carreira "muita linda" na seleção.

"Trouxe ele pelo lado esquerdo porque ele vem para dentro. Com a entrada do Lodi, (Rodrygo) faz o movimento tático, dando a amplitude, (deixando Lodi) como um lateral ponta aberto, depois ele ficou um pouco aberto demais. Trouxemos (Rodrygo) pro lado direito e foi melhor. Nossa jogada mais importante foi com Lodi. (Rodrygo é) Extremamente jovem e vai ter uma história muito linda dentro da seleção, com certeza", disse Tite.

O próximo compromisso da seleção é diante da Coreia do Sul, na próxima terça-feira (19), às 10h30 (de Brasília), no estádio Mohammed Bin Zayed, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos. Já a Argentina vai até Israel para amistoso com o Uruguai, marcado para a próxima segunda-feira (18).

Futebol