Topo

Diego surge como opção no Flamengo para duelo contra o Grêmio

Diego vinha sendo titular absoluto do Flamengo nas últimas temporadas - Thiago Ribeiro/AGIF
Diego vinha sendo titular absoluto do Flamengo nas últimas temporadas Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

16/11/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Flamengo não poderá contar com Arão, Gerson e Bruno Henrique, suspensos
  • Sem dois nomes do meio de campo, Jorge Jesus pode optar por Diego
  • O jogador, destaque nas últimas temporadas, perdeu espaço no segundo semestre deste ano, após lesão
  • Nem mesmo quando houve desfalques no setor, Diego acabou sendo cogitado para iniciar os duelos

Em um cenário em que o foco do Flamengo está voltado para a final da Libertadores e o jogo do Grêmio, pelo Campeonato Brasileiro, foi colocado quase que em um segundo plano, o meia Diego surge como opção ao técnico Jorge Jesus e pode ser titular pela primeira vez desde a recuperação de grave lesão no tornozelo esquerdo.

Coincidentemente, foi justamente contra o Grêmio, desta vez pela semifinal da Libertadores, que Diego voltou aos gramados. Ele entrou nos minutos finais da goleada do time rubro-negro no Maracanã.

O meia chegou ao Flamengo no meio de 2016, sob grande festa. Ele, que retornava ao Brasil após 12 anos no futebol europeu, assumiu a camisa 10 e foi um dos nomes do Rubro-Negro nas últimas temporadas.

Em julho, porém, uma grave lesão no tornozelo esquerdo - fraturou durante o primeiro confronto com o Emelec, do Equador, pelas oitavas de final da Libertadores - fez com que Diego ficasse afastado por cerca de três meses. Aquele era apenas a quinta partida do técnico Jorge Jesus à frente da equipe.

Enquanto o meia realizava tratamento, o Flamengo conseguiu engatar uma sequência de vitórias, assumiu a liderança do Brasileiro e chegou à semifinal da Libertadores. Com boas atuações, o time virou sensação.

MARCELO DE JESUS/RAW IMAGE/ESTADÃO CONTEÚDO
Imagem: MARCELO DE JESUS/RAW IMAGE/ESTADÃO CONTEÚDO

Recuperado de forma antecipada, foi relacionado para o clássico com o Fluminense, há cerca de um mês, pelo Brasileiro, e voltou a entrar em campo no confronto com o Grêmio, pela semifinal da Libertadores. De lá para cá, ainda entrou contra Corinthians e Bahia, ambos pelo Brasileiro e nos minutos finais.

Agora, o camisa 10 busca recuperar o espaço no elenco. Mesmo quando o time teve desfalques, como foi o caso recente de Arrascaeta, não se cogitou a escalação de Diego desde o início - sem o uruguaio, Jesus tem optado pelo jovem Reinier.

Desta vez, sem Arão e Gerson, suspensos, ele pode ser escolhido para compor a formação inicial do meio de campo, em uma partida que o Flamengo procura somar pontos, mas que, mais do que isso, indica não querer prejuízos para a final da Libertadores, que acontece no próximo fim de semana.

Com uma proposta do Orlando City, dos Estados Unidos, Diego esteve perto de um adeus ao Flamengo no fim do ano passado. À época, sob o comando do técnico Dorival Júnior, havia ficado no banco na reta final do Brasileiro. Mas, em janeiro, as partes chegaram a um denominador comum e o vínculo foi renovado até o fim de 2020.

Flamengo