Topo

Atleticano nega injúria racial: "pessoas que cortam meu cabelo são negras"

Briga na saída de Cruzeiro x Atlético-MG no Mineirão - Reprodução/TV UOL
Briga na saída de Cruzeiro x Atlético-MG no Mineirão Imagem: Reprodução/TV UOL

Do UOL, em São Paulo

12/11/2019 19h16

Nathan Siqueira da Silva, de 28 anos, um dos torcedores do Atlético-MG acusado de injúria racial ao segurança Fábio Coutinho, negou ser racista e ainda justificou sua conduta por ter pessoas próximas e cabeleireiro negros.

"Tenho irmão negro, tem pessoas que cortam meu cabelo que são negras, tenho vários amigos negros, não tenho nada contra", disse Nathan em entrevista para o jornal O Tempo.

O vídeo do momento da confusão ganhou grande repercussão nas redes sociais. Ainda para o jornal, ele ainda negou ter chamado o segurança de macaco: "Vocês podem ver no vídeo que a palavra direcionada a ele foi palhaço, não macaco".

No domingo (10), Nathan e seu irmão mais velho, Adrierre Siqueira da Silva, foram flagrados fazendo insultos racistas ao segurança no Mineirão, durante o clássico entre Cruzeiro e Atlético-MG no domingo (10).

Hoje, o Galo informou a exclusão dos dois irmãos do quadro de sócio-torcedor do clube.

Atlético-MG