Topo

Melhor sem Diniz, Flu aposta em estilo do técnico para espantar má fase

Fernando Diniz foi demitido do Fluminense em agosto - Lucas Merçon/Fluminense FC
Fernando Diniz foi demitido do Fluminense em agosto Imagem: Lucas Merçon/Fluminense FC

Caio Blois

Do UOL, no Rio de Janeiro

07/11/2019 04h00

O Fluminense enfrenta hoje (7) o São Paulo, às 19h30, no Morumbi, em jogo que marca o reencontro mais do que especial. Querido pelo elenco e por parte da torcida, o técnico Fernando Diniz estará desta vez no banco de reservas do adversário. Desde que o treinador foi demitido, o Tricolor carioca disputou as mesmas 15 partidas, e conseguiu aproveitamento bem superior, ainda que venha em má fase no Campeonato Brasileiro, visto que não venceu nos últimos cinco jogos.

Com Diniz no comando, o Flu conquistou apenas 12 pontos em 45 possíveis, um aproveitamento de 26,7%. O treinador foi ironizado, inclusive, pelo vice-geral Celso Barros, em polêmica publicação nas redes sociais. Com este aproveitamento, a equipe estaria na 18ª colocação, um posto abaixo que o time das Laranjeiras ocupa no momento e exatamente onde o técnico deixou o clube antes de ser demitido, o que ocorreu após a derrota em casa para o CSA.

Já sem o treinador, com Oswaldo de Oliveira e Marcão à frente do time, o Fluminense fez 19 dos mesmos 45 pontos possíveis, um aproveitamento de 42,2%. Um time com esta média estaria atualmente na 12ª posição. Apesar de ainda estar próximo da zona de rebaixamento e pressionado, a situação seria muito mais tranquila de reverter.

Ainda que os resultados mostrem evolução, em performance, o Flu teve seus melhores momentos na temporada sob o comando de Fernando Diniz. Muito do que o atual técnico do São Paulo plantou continua sendo colhido no Tricolor carioca. O estilo de troca de passes desde a defesa, a manutenção da posse de bola e a maioria dos titulares seguem os mesmos. Assim como os problemas crônicos na marcação e os gols perdidos.

Marcão, que começou seu trabalho justamente resgatando o que havia de bom na "fase Diniz", parece ter achado o time titular após modificações para o empate sem gols com o Vasco. Naquele jogo, o Tricolor atuou no 4-4-2, com um losango no meio de campo. Yuri foi o primeiro volante e atuou por vezes entre os zagueiros, liberando os laterais Gilberto e Caio Henrique. À frente, Allan e Daniel rodaram, com o primeiro mais pela esquerda, e o segundo pela direita, o que possibilitou que Ganso atuasse centralizado por trás dos atacantes.

O camisa 10 chegou a flutuar como falso 9 e teve boa atuação, saindo de campo aplaudido pela torcida, que não gostou de sua substituição. O resultado não veio, mas o futebol apresentado pela equipe, de fato, mostrou evolução. Pela primeira vez, Marcão repetirá a escalação, e precisa de uma vitória sobre o "mestre", companheiro dos tempos de jogador e amigo fora dos gramados, mas hoje, adversário.

E se o clima não é bom nem fora de campo, com discussões públicas entre o presidente Mario Bittencourt e o vice-geral Celso Barros, só mesmo os três pontos podem ajudar a apaziguar a situação.

FICHA TÉCNICA:
SÃO PAULO X FLUMINENSE

Data: 7 de novembro de 2019, quinta-feira
Horário: 19h30 (de Brasília)
Local: Morumbi, em São Paulo (SP)
Competição: Campeonato Brasileiro, 31ª rodada
Árbitro: Daniel Nobre Bins (RS)
Assistentes: Jorge Eduardo Bernardi e Andre da Silva Bitencourt (ambos de RS)
VAR: Jean Pierre Gonçalves Lima (RS)

SÃO PAULO: Tiago Volpi; Igor Vinícius (Juanfran), Bruno Alves, Arboleda e Reinaldo; Jucilei (Luan), Tchê Tchê e Daniel Alves; Antony, Vitor Bueno e Pablo (Raniel). Técnico: Fernando Diniz

FLUMINENSE: Muriel; Gilberto, Nino, Digão e Caio Henrique; Yuri, Allan, Daniel e Ganso; Marcos Paulo e Yony González. Técnico: Marcão.

Fluminense