Topo

Futebol


Tiago Nunes nega acerto com o Corinthians: "Não conversei com ninguém"

Gabriel Machado/AGIF
Imagem: Gabriel Machado/AGIF

Do UOL, em Santos (SP)

06/11/2019 11h14

Resumo da notícia

  • Tiago Nunes concedeu na manhã de hoje uma coletiva de despedida do Athletico
  • Técnico negou que já esteja acertado com o Corinthians para 2020
  • "Não conversei com nenhum dirigente ou representante", afirmou
  • Tiago Nunes disse que só começará a ouvir propostas a partir de hoje

Tiago Nunes encerrou o ciclo no Athletico Paranaense na manhã de hoje (6) com uma coletiva concedida em um hotel de Curitiba. Na entrevista, o técnico disse que só conversará com outros clubes a partir de hoje e negou que já tenha fechado com o Corinthians. A reportagem do UOL Esporte, que adiantou ontem o acerto do técnico com o Corinthians, apurou que as declarações do treinador são uma precaução, já que o contrato com o clube paulista ainda não foi assinado.

"Não chegou proposta alguma para mim. Todas as especulações e contatos foram diretamente com meu agente, ele que está à frente, e até por pedido meu, sempre evitei. Não conversei com nenhum dirigente ou representante do Corinthians", afirmou. "Nesse momento só estou pensando em conseguir descansar. Hoje eu tenho a facilidade de poder descansar com a minha família. Não tenho nada acertado com nenhum clube, não conversei com nenhum dirigente. O que vai acontecer daqui para frente vai ser debatido, discutido, e aí sim, a partir dessa definição, vou pensar em 2020", acrescentou.

De acordo com o treinador, ele só começará a definir seu futuro a partir de hoje, quando foi encerrado o seu ciclo no Athletico Paranaense. A reportagem apurou que as conversas com o Corinthians foram todas tratadas com os empresários do treinador e que o acordo é de um ano — o pacote de toda a comissão técnica (que saiu com Nunes do Athletico) custará R$ 850 mil ao clube paulista.

"Eu não tenho nada definido com nenhum clube, nem reunião agendada. Solicitei que só agendasse algum encontro após o término dessa coletiva. O ciclo se encerra nesse momento, após a coletiva", disse.

Tiago Nunes apontou a busca por novos desafios como principal motivo para a saída do Athletico e disse que não é um profissional que gosta de ficar na zona de conforto. "Foram dois anos e meio de convivência, e essa maneira de convivência, da maneira que é exigido, gera desgaste, embates, e quando você consegue passar por etapas importantes que é sair da formação, ascender à equipe principal, conquistar e de forma importante marcar o nome na história do clube, me senti completando um ciclo. Consegui atingir as etapas que me foram propostas. Eu sou um competidor, então busco sempre o desafio, nunca busquei a zona de conforto", analisou.

"(O clube) Se encontra no G-6, já campeão da Copa do Brasil, então me senti muito à vontade de comunicar o Petraglia que não ficaria para 2020. Fiquei à disposição para colaborar na transição do futebol profissional, mas ele não aceitou. No futebol a gente não tem mais espaço para a rivalidade do treinador que sai e o treinador que chega. Queria que essa resolução já fosse tomada desde outubro pensando no que o clube tem para 2020. Minha busca sempre foi por evolução, qualificação contínua, minha essência sempre foi ser professor, ajudar as pessoas a minha volta. Meu desafio não tem como estabelecer um limite. Sair do Athletico para que, no novo projeto, eu possa me qualificar mais. Eu não busco visibilidade, busco desafio, tentando vencer sempre", pontuou.

Técnico rebate Athletico sobre convite a integrantes da comissão

Segundo apurou o UOL Esporte, Tiago Nunes chegará ao Corinthians com mais cinco profissionais de sua comissão técnica. Em nota divulgada ontem, o Athletico disse que o treinador "convidou vários profissionais permanentes da comissão técnica" para o novo clube, informação negada pelo comandante em entrevista.

"Eu não tenho nada definido com nenhum clube, nem reunião agendada. Solicitei que só agendasse algum encontro após o término dessa coletiva. O ciclo se encerra nesse momento, após a coletiva. Como não tenho nada com nenhum clube, seria uma irresponsabilidade convidar algum integrante da comissão do Athletico para trabalhar sem ter nenhum acerto. O Athletico está tentando forçar os profissionais a ir comigo ou não, sem haver acerto algum. Aquele que acenar com dúvida, ele já é demitido, isso está acontecendo desde ontem. Não há convite nenhum, nem agendamento de reunião nenhuma, só após a coletiva", rebateu.

VEJA MAIS TRECHOS DA COLETIVA

"Não conversei com ninguém do Corinthians"

Não chegou proposta alguma para mim. Todas as especulações e contatos foram diretamente com meu agente, ele que tem tomado a frente, e até por pedido meu sempre evitei... Não conversei com nenhum representante do Corinthians, muito preocupado com as responsabilidades que eu tinha frente ao Athletico. Meu vínculo sempre foi verbal, por mais que houvesse o contrato, nunca houve multa. Muitas oportunidades vieram, financeiras muito maiores, clubes com muita tradição, e sempre fui muito leal ao Petraglia. Sinto que nesse momento se encerra o ciclo. O Athletico passa por uma profunda mudança de gestão, sistêmica, naturalmente concordo com algumas coisas e discordo de outras, e pensando que essas discordâncias pudessem se potencializar, achei que pudesse não iniciar 2020 com todo foco. Então solicitei meu desligamento para 2020, não para agora, para evitar que pudesse evitar qualquer ônus ao clube e iniciar o ciclo com outro profissional já pensando no ano que vem.

Recado ao torcedor insatisfeito

Ao torcedor, entendo as manifestações de insatisfação. Sempre vai existir um amor recíproco de cumplicidade, minha história se convergiu com vitórias, conquistas importantes, e num momento em que o clube estava muito carente de resultados, e criamos um laço muito forte que se misturou. Essas atitudes passionais de ódio são naturais pelo momento, mas muito da condução como é feito. Se o processo fosse mais leve até o fim do ano, até com o clube entendendo mais as minhas razões, poderíamos ter tido um fim de ciclo mais equilibrado. Acho que não tem ferida que o tempo não cure. O que foi construído nunca vai ser esquecido, foram conquistas marcantes, e o que eu possa pedir é que tenha o mesmo amor que sempre teve, que apoie muito o novo profissional que vai vir para dar sequência a esse trabalho que já existe.

Relação com Petraglia

Meu relacionamento sempre foi em altíssimo nível. Ele se mostrou insatisfeito na reunião de ontem, mas não me desrespeitou nunca. A gente sempre se tratou em algo nível.

Lado financeiro não pesou

Financeiramente não foi o ponto mais forte, até porque eu tive quatro convites e todos foram maiores que a proposta apresentada nesse momento, que foi o máximo esforço que o clube pôde fazer. Nunca fiz contraproposta ao Athletico. Perguntei qual era a melhor proposta que ele podia fazer. Ponto. Não acho que seria legal da minha parte ficar entrando em leilão. As propostas eram muito melhores do que essa e eu não saí. O que me move é o desafio. Nunca foi o que me moveu na minha carreira. Quando pensei nisso, tive dificuldades. Penso que meu ciclo no Athletico se encerra, e para o ano que vem vou sentar, pensar no que temos e projetar para 2020.

Momento é de descanso

Nesse momento só estou pensando em conseguir descansar. Hoje eu tenho a facilidade de poder descansar com a minha família. Não tenho nada acertado com nenhum clube, não conversei com nenhum dirigente. O que vai acontecer daqui para frente vai ser debatido, discutido, e aí sim, a partir dessa definição, vou pensar em 2020.

Mais fatores para a saída do Athletico

Ano passado, 2018 para 2019, até o dia 28 de dezembro, eu não sabia qual seria minha condição de renovação. Passei todo mês de dezembro sem saber o que ia acontecer em 2019. Eu virei o ano sem saber se seria o treinador principal, o interino, minha condição de salário... Então, todos esses fatores fizeram eu antecipar isso para 2020. Foi me passado que o investimento seria o mesmo para esse ano, e que poderíamos perder jogadores importantes, então tudo isso acaba sendo somado.

"Já esperava uma nota nesse tom"

Já esperava uma nota nesse tom, porque já aconteceram manifestações anteriores nesse sentido. Sei que não é um sentimento dos jogadores, colaboradores, comissão técnica, da maior parte do torcedor, é das pessoas que fazem a gestão do clube. Fica muito claro que, sendo manifestação dos gestores, significa que eu tomei a decisão correta. Se há tanto rancor, tanto ódio, é sinal de que não valeria ficar para 2020.

Futebol