Topo

Libertadores - 2019


Procon vai notificar cias aéreas por voo a R$ 17 mil para final em Lima

Taça da Libertadores - Lucas Uebel/Getty Images
Taça da Libertadores Imagem: Lucas Uebel/Getty Images

Beatriz Cesarini

Do UOL, em São Paulo

06/11/2019 11h55

Resumo da notícia

  • Sede da final da Libertadores foi transferida de Santiago para Lima
  • Preço de passagens para a capital peruana dispararam após anúncio
  • Conmebol já havia aberto vendas de ingressos para Santiago

Assim que a Conmebol anunciou ontem (5) a mudança de local da final da Copa Libertadores de Santiago para Lima, as passagens aéreas para a capital do Peru, entre os dias 23 e 24 de novembro, tiveram um aumento de preço explosivo e, na noite de ontem, chegaram a custar mais de R$ 17 mil. A partir disso, o Procon decidiu notificar as companhias aéreas a fim de solicitar uma justificativa pelo crescimento repentino dos valores.

"O Procon vai notificar ainda hoje as companhias aéreas com sede no Brasil para que justifiquem a razão de elevar os preços das passagens para Lima. Surgiu uma necessidade de um grande número de pessoas se mover para a capital do Peru e as cias elevaram o preço. Se foi uma ação oportunista, embora haja o livre mercado, as empresas estão sujeitas à multa", explicou o diretor do Procon, Fernando Capez.

Ainda segundo Capez, o aumento de preços de passagens para Lima por parte das companhias aéreas pode se enquadrar no Artigo 39, parágrafo 5º do Código de Defesa do Consumidor: "exigir do consumidor vantagem manifestamente excessiva".

A reportagem do UOL Esporte estava monitorando valores desde antes do anúncio do novo local para a final da Libertadores, quando as passagens para Lima na data do confronto entre Flamengo e River Plate custavam cerca de R$ 1,6 mil. No fim da manhã de hoje, os valores dos bilhetes mais baratos chegaram a aproximadamente R$ 10 mil.

Procurada, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) comentou o caso. "A Agência informa que não cabe à Anac avaliar se há ou não abuso de preços praticados por empresas aéreas, essa atribuição é do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE)", declarou a assessoria de imprensa da agência.

Em reunião durante a tarde de ontem (5), a Conmebol decidiu mudar a sede da decisão devido aos problemas enfrentados por Santiago, cidade apontada inicialmente como palco do principal duelo do continente. O Chile vem sendo palco de protestos em massa nas últimas semanas, o que gerou um impasse para a confederação Sul-Americana. O veredito saiu após longo encontro na sede da entidade, em Assunção, no Paraguai, com presença os presidentes dos dois clubes finalistas.