Topo

Futebol


Corinthians sofreu pressão para técnico de 2005 assumir o time

Márcio Bittencourt durante coletiva em 2005, quando era técnico do Corinthians - Keiny Andrade/Folha Imagem
Márcio Bittencourt durante coletiva em 2005, quando era técnico do Corinthians Imagem: Keiny Andrade/Folha Imagem

Samir Carvalho

Do UOL, em São Paulo (SP)

05/11/2019 04h00

A diretoria do Corinthians sofreu pressão de conselheiros para que Márcio Bittencourt, técnico que dirigiu o time em grande parte da campanha do título brasileiro de 2005, fosse efetivado no lugar de Dyego Coelho como treinador interino até dezembro.

Os conselheiros alegavam que o atual observador técnico das categorias de base do Corinthians teria mais experiência para ficar com a função até o fim do ano.

O grupo ainda recorreu ao emocional alegando que Márcio Bittencourt é o verdadeiro técnico campeão brasileiro de 2005 e não Antônio Lopes, que levantou o troféu com o elenco de Carlitos Tevez e companhia no fim daquele ano. Mas nada disso sensibilizou e muito menos convenceu os dirigentes corintianos.

O pedido foi negado e considerado até um absurdo por grande parte da cúpula corintiana. Na visão dos dirigentes do Timão, Dyego Coelho e Mauro da Silva são muito mais capacitados e atualizados no futebol. Além disso, a diretoria vê com eficiência o trabalho de "olheiro" do também ex-volante do Timão.

Márcio Bittencourt dirigiu o Corinthians entre maio e setembro de 2005 e deixou o time na briga pelo título. O aproveitamento do ex-volante foi de 65,4%. No entanto, a inexperiência do então jovem técnico e o temor da perda do título com um elenco "galático" fizeram a diretoria apostar no "consagrado" Antônio Lopes na época.

Coelho, por sua vez, estreia no banco de reservas amanhã (6), diante do Fortaleza, às 19h30 (de Brasília), na Arena de Itaquera, pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Futebol