Topo

Sampaoli busca explicações para fraco desempenho ofensivo do Santos fora

O técnico Jorge Sampaoli, do Santos, acompanha o jogo contra o Botafogo - Fernanda Luz/AGIF
O técnico Jorge Sampaoli, do Santos, acompanha o jogo contra o Botafogo Imagem: Fernanda Luz/AGIF

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

04/11/2019 04h00

O Santos goleou o Botafogo na noite de ontem (3), na Vila Belmiro, por 4 a 1, em duelo válido pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro. O placar elástico levantou uma questão na Baixada Santista: por que o Peixe não consegue repetir o desempenho ofensivo fora de casa?

Questionado sobre o tema, o técnico Jorge Sampaoli afirmou que a questão já rondou sua cabeça e é uma de suas dúvidas no clube. O argentino já disse diversas vezes que gosta que seu time ataque e seja protagonista do jogo em qualquer circunstância, dentro ou fora de casa.

"É uma dúvida pendente comigo, de não desfrutar o ataque em outros lugares como na Vila. Todas as minhas equipes jogaram igual em todos os campos. Para nós custa um pouco desenvolver fora. Mandos são fortes no Brasil, se sente um pouco. Muita paixão pela casa e ambientes difíceis. Seguiremos trabalhando. Esses seis pontos são muito importantes. Equipes estão ganhando e nos obrigam a ganhar para irmos para a Libertadores. Então temos que ganhar", disse em coletiva após a vitória.

Apesar do bom aproveitamento fora de casa, que coloca a equipe na quarta colocação entre os visitantes com 22 pontos em 15 jogos e 48% dos pontos obtidos, o argentino não está satisfeito com as atuações do time longe de seus domínios.

Foram dez gols marcados e 14 sofridos como visitante contra 33 anotados e 13 sofridos como mandante, ou seja, o ataque funciona mais que três vezes melhor quando o Santos joga ao lado de seu torcedor. O Peixe tem 80% de aproveitamento em casa, com 36 pontos ganhos em 15 jogos, terceiro colocado no ranking dos mandantes.

Se observarmos a média do Peixe no ano, e não somente no Brasileirão, os números seguem muito diferentes para uma equipe que tenta atuar da mesma forma em qualquer situação. A média de gols em casa no ano é o dobro da média fora, dois gols contra um.

A equipe santista passou em branco em 14 dos 29 jogos do ano como visitante, e mais: só anotou mais de um gol na mesma partida em cinco oportunidades, sendo somente duas delas no Brasileirão. Como mandante, a história é bem diferente. O time só não marcou gols em três dos 28 jogos que fez.

Ainda assim, campanha como visitante é boa

O Santos que joga fora de casa pode até não ser aquele que Sampaoli quer ver, mas a campanha do Peixe longe de seus domínios no Brasileirão é histórica para o clube.

Desde 2006, quando o Campeonato Brasileiro passou a ser disputado com 20 clubes, somente três campanhas como visitante superam o atual desempenho do Santos neste ano: 23 pontos em 2017, 24 pontos em 2016 e 25 pontos em 2007.

Ou seja, se a equipe de Sampaoli vencer mais um dos quatro jogos que ainda tem para disputar como visitante, igualará a melhor campanha do Peixe longe de seus domínios, podendo facilmente ultrapassar o desempenho.

O Santos ainda terá pela frente Avaí, Goiás, Fortaleza e Athletico fora de casa neste Brasileirão. No primeiro turno, atuando na Vila Belmiro, venceu os dois primeiros e empatou com os dois últimos.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Santos