Topo

Para seguir no Flu, Marcão precisa superar histórico negativo ante o Vasco

Marcão precisa de vitória para seguir no cargo, mas retrospecto contra o rival é péssimo - Lucas Merçon/Fluminense FC
Marcão precisa de vitória para seguir no cargo, mas retrospecto contra o rival é péssimo Imagem: Lucas Merçon/Fluminense FC

Do UOL, no Rio de Janeiro

01/11/2019 04h00

O Fluminense vive situação complicada no Campeonato Brasileiro. Não bastassem os quatro jogos sem vitória, o Tricolor ainda terá adversário indigesto pela frente: o Vasco, clube que o Flu não vence há nove jogos. O técnico Marcão está pressionado e, para seguir no cargo, precisa de uma vitória que os números mostram ser improvável.

A diretoria decidiu manter o treinador até o clássico, que sempre foi visto internamente como um divisor de águas na avaliação do trabalho. Paralelamente, estuda o mercado e a manutenção do ex-volante como auxiliar da comissão técnica permanente, cargo que ocupava anteriormente.

Foram sete derrotas e apenas dois empates desde a última vitória tricolor no clássico, em 2017, quando venceu duas seguidas por 3 a 0 no Campeonato Carioca. Antes, só havia vencido em 2015, quando Gerson, hoje no Flamengo, marcou o gol da vitória do Flu e da última derrota do Vasco naquele Brasileirão, onde o Cruz-Maltino acabaria rebaixado pela terceira vez.

Ainda que se amplie o panorama, este é pior momento do Fluminense no Clássico dos Gigantes. Se até o fim dos anos 1980 os tricolores chamavam os vascaínos de "fregueses", embalados pela conquista do Campeonato Brasileiro de 1984 sobre o rival (até hoje o mais importante dos jogos entre os dois clubes), a história mudou. Além dos atuais nove jogos de invencibilidade, o Vasco teve outro período de 10 partidas sem perder para o Flu entre 2013 e 2015.

Pressionado, Marcão tampouco poderá pensar nos tempos de jogador. Isso porque foram 22 jogos com a camisa do Tricolor em clássicos contra o Vasco, e o camisa 5 saiu com a vitória apenas uma vez, no longínquo ano de 2002, pelo extinto Torneio Rio São Paulo. Foram oito empates e 13 derrotas no total, um aproveitamento de apenas 16,7%.

Outra notícia também "joga contra" o Fluminense. A CBF soltou a escala de arbitragem para o clássico, definindo Raphael Claus como o árbitro para a partida. Considerado o melhor do país, o paulista não trouxe boa sorte ao Tricolor nos 16 jogos que apitou: foram apenas três vitórias e um empate, além de 12 derrotas. O aproveitamento é péssimo, de apenas 20,8%.

O Flu já faz contas para escapar do rebaixamento. Há uma tendência que a pontuação de corte seja abaixo dos 45 pontos em 2019, ainda que nada esteja garantido. O matemático Tristão Garcia, do site Infobola, calcula 52% de chances de queda para o Tricolor, bem próximos aos 50,2% calculados pelo departamento de matemática da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), que também calcula probabilidades no futebol.

Fluminense