Topo

Libertadores - 2019


Conmebol cogita final da Libertadores fora do Chile; até EUA fazem sondagem

Jorge Jesus comemora com jogadores do Flamengo após para a final da Libertadores - Thiago Ribeiro/AGIF
Jorge Jesus comemora com jogadores do Flamengo após para a final da Libertadores Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Marcel Rizzo, Pedro Ivo Almeida e Rodrigo Mattos

Do UOL, no Rio de Janeiro e São Paulo

30/10/2019 13h23

A Conmebol já discute a mudança da sede da final da Libertadores. Marcada para Santiago, no Chile, a partida Flamengo x River Plate pode ir para outro lugar por conta dos protestos no país. O humor na entidade, que reafirmava a competição no Chile com convicção, se modificou de ontem (30) para hoje, especialmente em função dos cancelamentos da cúpula de líderes da Apec e da conferência de clima Cop-25.

Ainda há, no entanto, a intenção de insistir com Santiago se for possível. Tal opção se mostra com uma força cada vez menor.

Desde o início dos protestos, a Conmebol tem reafirmado a realização do jogo em Santiago onde já tem uma estrutura desenhada, visitada por times, e promoções de patrocinadores. Houve investimento para preparação do Estádio Nacional.

Só que a escalada dos protestos no país contra o presidente do país, Sebastián Piñera, mudou o cenário. O governo chileno, por meio de sua porta-voz, por enquanto confirmou a realização do evento.

Mas o cancelamento de dois outros eventos deixou a Conmebol insegura. Internamente, longe de posições oficiais institucionais, dirigentes monitoram a situação e analisam qual seria a melhor alternativa em caso de mudança. O que se sabe por enquanto é que a realização de dois jogos, um na casa do Flamengo e outro do River, está praticamente descartada. O próprio regulamento da Libertadores prevê a final única, e mudar isso seria rasgar as regras.

Tão logo o tom subiu na última noite, entrou em pauta a transferência do jogo para um país fora da América do Sul, como foi feito com Boca Juniors x River Plate, em 2018 — disputado em Madri por questões de segurança. A Conmebol não enxergou isso com bons olhos e praticamente descartou o cenário. Interlocutores de cidades como Miami, nos Estados Unidos, e Doha, no Qatar, correram para oferecer os locais, mas não animaram os cartolas da confederação sul-americana.

A ser uma final única no continente, estariam fora de cogitação opções como Argentina e Brasil, países dos dois times finalistas, o que geraria o favorecimento a um dos dois.

Quando cancelada a final da Sul-Americana em Lima, esta foi transferida para Assunção, no Paraguai, sede da Conmebol. Outra alternativa seria buscar países neutros, como o Uruguai. Mas não há nomes na mesa ainda. O que há é uma discussão da entidade sobre se será possível realizar a final no Chile e o que seria necessário para transferi-la.

A decisão não pode demorar muito porque há uma preparação para o jogo e as vendas de ingressos para torcedores de River Plate e Flamengo já começaram, assim como já tinham sido comercializados bilhetes para moradores do Chile.