Topo

Autuori detona gestão do Santos e contrato "mal elaborado" de Sampaoli

Paulo Autuori concede entrevista no CT do Santos - UOL
Paulo Autuori concede entrevista no CT do Santos Imagem: UOL

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

30/10/2019 11h12

O superintendente de futebol do Santos, Paulo Autuori, não poupou críticas à gestão do Peixe em entrevista coletiva na manhã de hoje, no CT Rei Pelé. O cartola alinhou com a comunicação do clube para vir a público prestar esclarecimentos após ser veiculado sobre uma suposta retirada da multa do contrato do técnico Jorge Sampaoli.

Autuori se mostrou muito incomodado com o vazamento de informações por parte de um membro do Comitê de Gestão, que ele chamou de "covarde". O superintendente fez duras críticas ao modo como as coisas estão no clube.

"Estou extremamente desapontado com a forma como estão ocorrendo em termos de gestão. Meu pai sempre falou: os incomodados que se mudem. Não estou falando em saída, estou deixando claro este meu posicionamento, estou incomodado. É impossível trabalhar assim na carreira. Está muito fácil gerir o clube, temos um grande treinador, o clube está fazendo uma campanha boa no Brasileiro, podemos fazer melhor? Claro, sempre. Eu queria ter vindo aqui uma vez só, porque gosto de trabalhar quietinho no meu canto. Se não tem gestão, se complica. Eu estou bastante incomodado", afirmou Autuori.

O superintendente ainda não confirmou a permanência de Sampaoli para o ano seguinte. Segundo ele, o assunto multa rescisória do contrato do treinador já é antiga, mas não define se ele fica ou não para a próxima temporada.

"Tema da multa do Sampaoli foi algo mal elaborado desde o início por parte daqueles que estiveram envolvidos na negociação. Não é relevante. Com ou sem (multa), se você não estiver feliz no lugar onde você está... Eu não estou feliz aqui, já disse isso. Não há possibilidade de ter estratégia quando se tem várias pessoas e uma delas tem a preocupação de ser simpático (em vazar para a imprensa), pra lá na frente dizer 'eu falei'... Pra mim, já falei, isso é covardia", disse o cartola.

"A reunião de segunda? Em nenhum momento se tocou no assunto multa do Sampaoli. Eu gostaria de saber quem foi o membro, acho que tem que ter hombridade de levantar a mão e falar. Falamos sobre a dificuldade de 2020. Estamos em conversações e não há nada definido. Existem duas possibilidades que não mudaram desde que cheguei. Não há nenhuma definição. Não há 'eu não quero ficar' ou 'eu quero ficar'. Não há uma definição clara por parte do clube ou do treinador", concluiu.

Santos