Topo

UOL Esporte vê TV


Comentaristas aprovam marcação de pênaltis em Avaí X Palmeiras

Deyverson comemora gol que abriu o placar na Ressacada - EDUARDO VALENTE/FRAMEPHOTO
Deyverson comemora gol que abriu o placar na Ressacada Imagem: EDUARDO VALENTE/FRAMEPHOTO

Colaboração para o UOL, em São Paulo

27/10/2019 22h14

Para Sálvio Spinola e Renata Ruel, comentaristas de arbitragem de Globo e ESPN, os dois pênaltis da vitória do Palmeiras sobre o Avaí, por 2 a 1, foram bem marcados. Destacando a dificuldade em enxergar a penalidade em Deyverson por conta da poça d'água, os comentaristas concordaram com a decisão de Wilton Pereira Sampaio, que reviu ambos os lances na beira do campo.

Presente na transmissão do Premiere, canal por assinatura da Globo, Sálvio foi sucinto em ambas as análises.

"O Vinícius Araújo tira do Weverton, e goleiro toca nele. Eu marcaria o pênalti", disse o comentarista sobre a penalidade marcada para o Avaí, convertida por João Paulo.

Já sobre o pênalti de Ricardo em Deyverson, convertido por Gustavo Scarpa, Sálvio, mesmo concordando com a marcação, criticou o atacante palmeirense por 'aumentar a queda'.

"Daria o pênalti sim. O Deyverson chega primeiro e, depois, é tocado. O Deyverson não ajuda. Quando tem o contato, ele aumenta a queda. A poça d'água também não ajuda o VAR", afirmou.

No Sportscenter, programa da ESPN, Renata Ruel seguiu a linha do colega. Após avaliar a penalidade em prol do Avaí como 'indiscutível', a comentarista, diante da dificuldade em ver o choque entre Ricardo e Deyverson, se baseou em 'deduções' para comentar o pênalti a favor do vice-líder do Brasileirão.

"Para mim, é um pênalti indiscutível. O jogador do Avaí toca a bola primeiro, vai tirar do goleiro do Palmeiras, o goleiro perde o tempo e vai na perna do atacante. Como é uma disputa de bola, vira cartão amarelo", opinou Ruel sobre o primeiro pênalti.

"A gente vai ter dificuldade de ver mesmo com a lupa. (...) O que eu deduzo aqui: O Deyverson apoia o pé primeiro. O jogador do Avaí está indo montar o chute. Para mim, dá a sensação que ele pega de raspão no pé de apoio do Deyverson. E é interessante a gente ver que, depois do contato, o jogador do Avaí não pega a bola. Se ele pegasse a bola, ela teria saído do lugar. A bola fica no mesmo lugar. O chute do jogador do Avaí não acerta a bola. Então, a gente acredita que, de repente, este chute do jogador do Avaí pega no tornozelo do Deyverson", completou.

UOL Esporte vê TV