Topo

Brasileirão - 2019


Ceni revê o Cruzeiro, tem recepção tímida e é ignorado por medalhões

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

26/10/2019 23h05

Exatamente um mês após se despedir do Cruzeiro, o técnico Rogério Ceni voltou ao Mineirão com o Fortaleza e saiu de lá com o empate de 1 a 1, hoje (26), pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro. Após a saída polêmica, marcada por desentendimentos com alguns atletas, o ex-goleiro teve recepção tímida no estádio, mas recebeu o carinho de seus ex-comandados no gramado. As exceções foram alguns medalhões.

Durante sua passagem pela Toca da Raposa, Ceni foi o único poupado em vários protestos da torcida da Raposa, que atacou membros da diretoria e até jogadores consagrados do clube. Na chegada do Fortaleza ao Mineirão, alguns cruzeirenses estavam perto do ônibus e gritaram timidamente para o treinador. No breve contato, ele respondeu de forma positiva com um aceno.

No túnel em direção ao gramado, Ceni fez os primeiros contatos visuais com alguns seguranças, membros da comissão técnica e outros profissionais do Cruzeiro. Já no gramado, antes do apito inicial, recebeu cumprimentos de alguns jogadores. Dos titulares, Henrique, Fabrício Bruno, Cacá, Orejuela, David e Fábio foram vistos abraçando o treinador, além de alguns reservas que deixaram o banco. O mesmo não aconteceu com alguns medalhões, como Fred, Egídio e Thiago Neves, este último apontado como protagonista da demissão devido ao relacionamento ruim com o ex-goleiro. Vale lembrar que o meio-campista já havia insinuado que não iria cumprimentar o ex-goleiro.

Com a bola rolando, os mais de 25 mil presentes no Mineirão não esboçaram cantos ou gritos de apoio a Ceni. Por outro lado, o reencontro foi marcado pelo respeito mútuo. Por causa do seu passado como carrasco celeste pelo São Paulo, o ex-goleiro sempre foi alvo da torcida em partidas no Mineirão, até mesmo como técnico, algo que não aconteceu dessa vez. No fim da partida, já a caminho dos vestiários, o treinador se retirou de campo e voltou a escutar palavras de apoio de alguns torcedores posicionados perto da saída.

Na beira do gramado, Ceni mostrou sua intensidade característica, que também cativou a torcida do Cruzeiro. Bastante participativo com seus jogadores, viu sua equipe produzir pouco e até abrir mão da saída com o toque de bola, tamanha a marcação alta dos anfitriões. Viu sua equipe, praticamente inofensiva, sair atrás do marcador, mas colocou o time para frente e comemorou o empate já nos últimos minutos, dando um banho de água fria em seu ex-clube.