PUBLICIDADE
Topo

Presidente do Atlético-MG desabafa: "Sou o pior, porque sou o atual"

Sérgio Sette Câmara, presidente do Atlético-MG - Bruno Cantini/Divulgação/Atlético-MG
Sérgio Sette Câmara, presidente do Atlético-MG Imagem: Bruno Cantini/Divulgação/Atlético-MG

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

24/10/2019 11h17

Sérgio Sette Câmara, presidente do Atlético-MG, foi à Cidade do Galo na manhã de hoje e desabafou sobre as críticas que escuta diariamente à frente do cargo. O mandatário explica por que é tido como o "pior da história do clube" na atualidade.

"Quando começa o jogo, eu dependo daquilo. Minha gestão é julgada pelo que acontece em campo. Tem que se pensar melhor sobre isso. Eu, hoje, sou o pior presidente do Atlético, mas sou porque sou o atual. Já foi o Daniel, o Ziza também já foi o pior. O Alexandre, nos três primeiros anos, também viveu um momento complicado. Eu não posso ter a chance de performar aqui para depois tentar nos três últimos anos? Quantos presidentes não ganharam títulos aqui no Atlético? Coitado do Bolzan, tomou 5 a 0 do Flamengo? Quer dizer que ele é o pior presidente do Grêmio? O Grêmio não vai ganhar nada esse ano, só Campeonato Gaúcho, com aquele time todo lá. Não adianta, é segredo para alguém que o Atlético é um dos clubes que mais deve no Brasil? A dívida do Atlético é de R$ 700 milhões. A gente vai administrando isso daí e vai pagando", comentou.

"Está faltando respeito ao presidente do clube. Jamais fui atacado em rede social como advogado, só fui atacado depois que passei a ser presidente. Em algumas vezes, eu mereci. Estão me culpando por tudo de errado que acontece. Tem coisas boas também, não é possível. Estamos tentando organizar o clube. Estou dedicando tudo o que conquistei na minha vida ao Atlético", acrescentou.

Ele ainda explica por que ficou mais de três meses sem conceder entrevista coletiva. De acordo com o mandatário, ele não gosta de aparecer.

"Não sou de aparecer, não vou sair para a política, não gosto de aparecer. Não tenho a intenção de me tornar político, não acho certo. Tem atitudes que não são as mais corretas na rede social, de ficar fazendo tuitada de tudo quanto é coisa sobre tudo que tem. Eu procuro falar para todas as pessoas que me procuram que o Atlético não tem religião nem partido político. Não posso me manifestar", avaliou.

Futebol