Topo

Camaronês do Cruzeiro viveu impasse por um mês após ameaça de aposentadoria

Atacante fez sua reestreia pelo Cruzeiro no último sábado, em vitória de virada contra o Corinthians - Daniel Vorley/LightPress/Cruzeiro
Atacante fez sua reestreia pelo Cruzeiro no último sábado, em vitória de virada contra o Corinthians Imagem: Daniel Vorley/LightPress/Cruzeiro

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

24/10/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Joel estava emprestado pelo Cruzeiro quando foi cortado da Copa das Nações Africanas
  • Risco de mal súbito quase abreviou carreira do atacante
  • Joel passou por novos exames até ser totalmente liberado para a prática esportiva
  • Atacante fez sua reestreia pelo Cruzeiro no último sábado, em partida contra o Corinthians

No último sábado, o camaronês Joel praticamente recomeçou sua vida dentro das quatro linhas. O atacante do Cruzeiro entrou em campo pela primeira vez depois que foi totalmente liberado pelos médicos a voltar a praticar futebol. O motivo da ausência nos últimos meses se deu por causa de um problema cardíaco que o tirou da Copa Africana de Nações e quase colocou um ponto final na carreira do jogador de 25 anos.

No final de junho, Joel estava cotado para disputar o torneio africano, mas foi cortado da seleção do seu país após ser detectada uma alteração cardíaca que colocava em risco sua atuação. Contratado pelo Cruzeiro em 2015, Joel estava emprestado ao Marítimo, de Portugal, e viu sua carreira ser abreviada naquele momento. No mês seguinte, seu empréstimo acabou e o atacante, com o auxílio do Cruzeiro, passou a realizar uma série de exames para se certificar da sua situação.

"Foi um pouquinho difícil para mim. Fiquei de três semanas a um mês à espera dessa definição. Fiquei andando de cardiologista para cardiologista para ter várias opiniões. Fico feliz que deu tudo certo. No final recebi o laudo de nada menos que o Dr. Nabil, um dos cardiologistas mais reconhecidos, mais experientes nessa área, do Brasil. Recebendo este laudo, tirou qualquer dúvida, qualquer tipo de incerteza. Para mim foi uma vitória", comentou o atacante.

Sérgio Campolina, chefe do departamento médico do Cruzeiro, explicou como foi feito o processo para ter a certeza que Joel poderia voltar a jogar futebol.

"A seleção de Camarões tem um protocolo um pouco diferente de todos os times e seleções mundiais, por questões de seguro da federação. Os atletas têm que fazer um exame a mais do que os que são feitos de rotina. E nesse exame a mais foi observada uma alteração nas artérias do coração do Joel, um posicionamento anômalo da artéria. Como a seleção teve um caso recente de um óbito [Marc-Vivien Foé morreu durante a semifinal da Copa das Confederações de 2003], o Joel foi cortado por causa desse problema", disse o médico.

"Ao ser reintegrado ao grupo, nós tivemos o cuidado de fazer uma avaliação em dois dos maiores centros de cardiologia esportiva do Brasil e da América Latina, o Hospital Albert Einstein e o Instituto Dante Pazzanese. Com o laudo deles, que são referências em suas áreas, nós reintegramos o Joel ao grupo. Então, para a gente, foi uma vitória maior do que uma cirurgia, por causa da situação que foi colocada para o Joel, de aposentadoria, de parar de jogar", completou Campolina

Atacante não seria aproveitado na equipe

Vinnicius Silva/Cruzeiro
Imagem: Vinnicius Silva/Cruzeiro

Quando voltou ao Cruzeiro, no mês de julho, Joel não fazia parte dos planos do técnico Mano Menezes. A intenção da diretoria era manter o jogador treinando separadamente até encontrar um destino para ele. Contudo, após a chegada de Rogério Ceni e também de Abel Braga, Joel passou a treinar com o grupo e ser relacionado para as partidas. No jogo contra o Corinthians, no último sábado, ele atuou por cerca de 15 minutos.

"Depois das todas as notícias, das repercussões. O fato de ter entrado em uma vitória fora de casa, para mim, parecia que eu estava sonhando. A gente realmente precisava. Entrar num jogo desse tamanho, desse porte, para mim foi uma vitória. Poder voltar ao Cruzeiro e ser mais um para ajudar o time a sair dessa situação é uma satisfação muito grande", concluiu o camaronês.

Cruzeiro