Topo

Futebol


"Pré" da Libertadores: Fla reencontra Flu, único algoz em clássicos em 2019

Luciano comemora gol do Fluminense diante do Flamengo na Taça Guanabara de 2019 - Thiago Ribeiro/AGIF
Luciano comemora gol do Fluminense diante do Flamengo na Taça Guanabara de 2019 Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Alexandre Araújo e Caio Blois

Do UOL, no Rio de Janeiro

19/10/2019 12h00

Líder incontestável do Campeonato Brasileiro, o Flamengo tem uma decisão pela frente na próxima semana: enfrenta o Grêmio, no jogo de volta da semifinal da Libertadores, objetivo maior da temporada rubro-negra. A "pré" para a competição continental, entretanto, é contra um rival que costuma complicar a vida da equipe, o Fluminense, único rival que foi algoz do Fla em clássicos em 2019.

A vitória por 1 a 0 na semifinal da Taça Guanabara - com gol de Luciano nos acréscimos - serviu para dar moral ao Tricolor e aumentar a pressão sobre o técnico Abel Braga no comando do Flamengo. De lá para cá, o Rubro-negro - que já havia batido o Botafogo no primeiro clássico da temporada - enfrentou seus rivais dez vezes. Foram seis vitórias e quatro empates, além dos títulos da Taça Rio e do Campeonato Carioca.

Nos confrontos contra o Flu, o Flamengo teve dois empates e duas vitórias (uma sobre reservas do Tricolor). Em alguns destes encontros, como no primeiro turno do Campeonato Brasileiro, com Jorge Jesus recém-anunciado e acompanhando na tribuna, o Fluminense jogou melhor e deu mais trabalho à equipe que os outros "coirmãos".

As partidas tiveram momentos de tensão nos instantes finais além do gol de Luciano, como o pênalti de Leo Santos em Lucas Silva que acabou eliminando o Fluminense na Taça Rio e deu a vitória ao rival. Fato é que os jogos foram quase sempre equilibrados, ainda que o Flamengo não estivesse, à época, jogando o futebol que o coloca na liderança do Campeonato Brasileiro.

Revisionismo equivocado em clássico mais charmoso do Brasil

A bem da verdade, os rivais tem ligação umbilical. Por mais que em 2019 algumas teorias tenham sido criadas em tom de revisionismo, a história que liga rubro-negros e tricolores é conhecida por todos. Insatisfeitos no clube das Laranjeiras, nove atletas criaram o departamento de futebol no Flamengo, então um clube apenas de regatas. A rivalidade começava ali, quando mesmo desfalcado, o Flu venceu o primeiro clássico da história por 3 a 2, com gols dos irmãos Edward e James Calvert e de Barthô.

Na era de ouro do Maracanã, do fim da década de 60 até o fim da década de 80, as equipes dominaram o futebol carioca com 15 conquistas e conquistaram cinco títulos nacionais, além da Libertadores e do Mundial de 1981 vencidos pelo Flamengo. De nome fácil e charmoso, o clássico é o mais famoso do país também por conta da crônica esportiva, em rivalidade balizada pelos irmãos Nelson Rodrigues e Mario Filho, que dá nome ao outrora Maior do Mundo.

Em 1963, protagonizaram o maior público da história do futebol brasileiro entre clubes. Os registros dão conta de 194 mil pessoas no Maracanã, mas os presentes falam em mais de 200 mil pessoas no estádio. O 0 a 0 no placar deu o título ao Rubro-negro, que ainda ouve dos rivais, em vantagem em decisões, as brincadeiras referentes às finais envolvendo o Fla-Flu.

Pedra eterna no sapato do Flamengo, o Fluminense chega ao clássico como azarão. Mas aposta justamente na mística que costuma permear os Fla-Flus, onde nunca houve vencedor antecipado.Se surgiu "40 minutos antes do nada", a rivalidade agora coloca frente a frente equipes em momentos bem distintos: o Rubro-negro tenta aumentar a vantagem na liderança, enquanto o Tricolor busca tranquilidade na tabela do Campeonato Brasileiro.

Futebol