Topo

Perrella garante quitar salários atrasados em até duas semanas no Cruzeiro

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

17/10/2019 10h04

Resumo da notícia

  • Cruzeiro vem tendo dificuldades há meses para pagar salários de atletas e até mesmo funcionários do clube
  • Zezé Perrella garantiu que primeiro mês de atraso será quitado até a segunda-feira
  • Novo gestor de futebol ainda revelou que o segundo mês de salários atrasados será pago em menos de duas semanas
  • Após vitória contra o São Paulo, Perrella diz ter visto um vestiário com astral renovado no Cruzeiro

Novo gestor de futebol do Cruzeiro, Zezé Perrella garantiu que irá pagar o primeiro dos dois salários atrasados do elenco celeste até a próxima segunda-feira (21). A promessa aconteceu após a vitória de 1 a 0 contra o São Paulo, pela 26ª rodada do Brasileirão.

"Estou procurando equacionar. Já na segunda-feira pago um salário para eles. E vou procurar equacionar a outra até o fim da semana seguinte. Não estou dizendo que jogar joga por dinheiro não, estou dizendo que jogador joga quando tem confiança também no seu dirigente", comentou.

Recentemente, Perrella reconheceu que a situação financeira do Cruzeiro é delicada, mas prometeu fazer esforços para arcar com os compromissos aos jogadores. Desta vez, ele não revelou de onde sairá o dinheiro para o futuro pagamento, embora já tenha dado indícios que a verba poderá sair de adiantamento de cotas ou com a ajuda dos Supermercados BH, patrocinador do clube.

"O que menos importa é de onde veio. Não vou entrar nesse mérito. O que importa é o tamanho da marca Cruzeiro e o que ela é capaz de gerar em termos financeiros", acrescentou.

A vitória contra o São Paulo foi a primeira desde que Perrella assumiu a nova função no Cruzeiro, após a saída de Itair Machado. Agora sem o peso dos nove jogos seguidos sem vitória, a Raposa tentará dar sequência à reação. Hoje, o clube tem 25 pontos e está na 18ª colocação, mas já pode deixar o Z-4 no próximo final de semana, quando enfrenta o Corinthians.

"Eu acho que os jogadores perceberam alguma mudança de comprometimento, de postura. Eu coloquei para eles que eu tenho uma história no Cruzeiro e corro risco de jogar um legado por terra, mas eu tinha que assumir essa condição. Eu acho que o astral mudou. O comprometimento, a palavra. Os jogadores sabem que, quando eu me comprometo com eles, eu cumpro. Não estou dizendo que os outros não cumprem, mas acho que isso foi fundamental", concluiu.

Cruzeiro