Topo

Botafogo acumula seis derrotas em sete jogos e aumenta flerte com degola

Do UOL, no Rio de Janeiro

17/10/2019 04h00

Não há mais dúvida. O Botafogo já admite internamente que lutará duramente contra rebaixamento. O time acumulou a sexta derrota nos últimos sete jogos após a derrota para o Vasco e viu a gordura acumulada com os bons resultados do primeiro tempo ser totalmente eliminada. A diferença é de apenas quatro pontos e o sinal está mais do que ligado em General Severiano.

O fraco desempenho recente gerou revolta da torcida. Membros de organizada invadiram um treinamento, a sede e ainda foram impedidos de uma segunda tentativa de entrar no estádio Nilton Santos durante uma atividade. O clima ficou pesado e quem pagou a conta foi Eduardo Barroca, demitido após fazer bom trabalho no primeiro turno.

Alberto Valentim foi o escolhido para a espinhosa missão. O treinador, que foi campeão carioca em 2018, já tinha bom conhecimento do elenco e deixou o Avaí para voltar ao Botafogo. Ele teve apenas dois treinamentos antes de encarar o Vasco na última quarta-feira.

"Temos que, lógico, se for pensar nos números anteriores, o Botafogo está fazendo poucos pontos, mas temos de pensar daqui para frente agora. Temos de recuperar já com um confronto de um adversário que está perto, em casa. Temos de fazer bem esse jogo, recuperar os atletas bem porque haverá pouco tempo de recuperação, repetirmos coisas boas, corrigir muitas coisas que temos de fazer para melhorar, vencer, e somar 33 pontos no campeonato", disse Valentim.

Em campo, o novo treinador não promoveu muitas mudanças. Pelo menos não à primeira vista. Manteve os nomes, mas mudou a forma de jogar. Uma mudança clara é a postura da marcação. Com Barroca, o time esperava o adversário no campo de defesa. Após a chegada de Valentim, o Botafogo passou a marcar alto, apertando a saída de bola do adversário.

Porém, o time segue com atletas pesados, como Diego Souza, Cícero e João Paulo do meio para frente, o que complica uma intensidade muito forte na marcação. Nesse sentido, a situação pioraria ainda mais com o provável retorno de Alex Santana, decisivo com a bola nos pés, mas que mostra dificuldades na marcação.

O próximo desafio do Botafogo é um duelo direto pela permanência na primeira divisão: recebe o CSA, na segunda-feira, no Nilton Santos.

Botafogo