Topo

Seleção Brasileira


Jogadores enaltecem reação contra Nigéria, mas admitem Brasil de Tite aquém

Casemiro comemora gol da seleção brasileira em amistoso Brasil x Nigéria em Cingapura - Roslan Rahman/AFP
Casemiro comemora gol da seleção brasileira em amistoso Brasil x Nigéria em Cingapura Imagem: Roslan Rahman/AFP

Do UOL, em São Paulo (SP)

13/10/2019 11h27

Os jogadores da seleção brasileira que pararam para conversar com a reportagem da TV Globo após o empate de 1 a 1 de hoje (13) contra a Nigéria, na saída do gramado do Estádio Nacional de Cingapura, evitaram adotar tom muito crítico ao desempenho da equipe de Tite. Casemiro e principalmente Marquinhos até admitiram um Brasil aquém do que mostrou na Copa América, mas enalteceram a reação contra os nigerianos.

Primeiro a parar para falar ao microfone, Casemiro, autor do único gol brasileiro diante da Nigéria, reconheceu que o resultado "não é bom", mas elogiou a postura da equipe no segundo tempo, quando Tite parece ter solicitado mais jogadas aéreas ao setor ofensivo. Cabe lembrar que o Brasil vem de jejum de vitórias desde o título da Copa América, engatando outros empates contra Senegal e Colômbia e derrota para o Peru.

"Falando de resultado, claro que nunca é favorável, se tratando de Brasil, queremos sempre a vitória. Não é bom, mas dentro do que vínhamos apresentando, hoje, principalmente na segunda parte a resposta foi boa. Jogando atrás do resultado, equipe forte fisicamente", declarou.

O zagueiro Marquinhos, que acabou driblado no ato final da jogada nigeriana que acabaria no gol de Aribo, repetiu citação de Casemiro ao embate físico travado contra fortes e grandes jogadores africanos nos dois últimos amistosos. O defensor ainda argumentou que a melhora do Brasil no segundo tempo passou também por jogadas mais bem elaboradas, com troca de passes.

"Passa pelo coletivo, sabe que enfrentou duas seleções de porte físico muito forte, pouco espaço, bastante intensidade. A gente acabou caindo um pouco no jogo deles, as principais chances vieram quando a gente teve tranquilidade, trocou bola", analisou.

Especificamente sobre a sequência ruim de resultados, Marquinhos pediu explicitamente uma melhora coletiva dos comandados de Tite para reencontrar um padrão de jogo e voltar a apresentar dificuldade aos adversários. Tudo isso pouco foi visto na seleção pós-Copa América.

"Foram dois jogos de testes, para ver formações diferentes. Período que tem a chance de testar, se encontrar, e temos que encontrar nosso padrão o mais rápido possível. Era bem sólido, equipes tinham muita dificuldade para entrar. Nos últimos jogos as equipes conseguiram entrar, temos que melhorar o coletivo", concluiu o zagueiro.

Ainda se preparando para o início das Eliminatórias Sul-Americanas da Copa de 2022, agendado para março do ano que vem, a seleção brasileira volta a campo para novos amistosos no próximo mês de novembro, quando encara Argentina e Coreia do Sul, provavelmente na Arábia Saudita e nos Emirados Árabes, em datas e até locais a serem ainda confirmados pela CBF.

Seleção Brasileira