Topo
Comprar ingresso
Comprar ingresso

"Eu mesmo estou me criticando": Carille vê má fase corintiana e cita Tite

Gabriel Carneiro

Do UOL, em São Paulo

10/10/2019 22h06

O empate em 2 a 2 diante do Athletico-PR que distanciou o Corinthians da briga pelas primeiras posições do Campeonato Brasileiro fez o técnico Fábio Carille admitir que sua equipe vive um mau momento na temporada em relação ao desempenho em campo. Na Arena Corinthians, os mandantes foram dominados e conseguiram compensar em duas jogadas de bola parada. Criticado pela torcida em diversos momentos do jogo, o treinador citou Tite e fez uma autocrítica sobre seu trabalho.

"Eu mesmo estou me criticando, cobrando, treinando, trabalhando. Acho isso (as críticas) muito normal. Cria-se uma expetativa de ganhar tudo e não estamos preparados para ganhar tudo. Fomos campeões paulistas, ótimo, vai entrar no meu currículo, mas não foi jogando bonito. Estamos precisando jogar mais e isso melhora com treino, vídeos. Mas temos um grupo consciente de que precisa melhorar", afirmou o treinador em entrevista coletiva pós-jogo.

Fábio Carille considera normais as críticas da torcida e lembrou que Tite, em 2013, também enfrentou rejeição antes de deixar o clube para viver um ano sabático. "Eu vejo isso como muito normal pelo tanto de tempo que tenho no clube como auxiliar, isso me lembra do Tite em 2013, muita cobrança no segundo semestre. Isso faz parte. O certo é que temos que melhorar, temos que crescer. A gente tem oscilado, momentos ruins, sequências de jogos não legais, mas nossa volta da Copa América foi legal. E com todas as dificuldades estamos em quarto lugar."

Sobre o empate contra o Athletico-PR, o treinador reconheceu a superioridade do adversário em campo e explicou taticamente as razões do sofrimento corintiano na Arena.

"No começo do jogo o Athletico dominou muito e logo decidimos fazer uma mudança, com o Vital por dentro para fazer essa função de dentro para a esquerda, então conseguimos dar uma controlada, ser melhor. Não que fomos superiores. No segundo tempo ajustamos, tirando circulação do Wellington, porque a bola estava passando muito por ele. Tivemos dificuldade de compactar (...) O adversário foi melhor do que nós. Eles tiveram domínio, conjunto, é um time campeão. Sabíamos da dificuldade, ninguém é campeão à toa. Precisamos parabenizar o Tiago (Nunes, técnico do Athletico)", disse.