Topo

Futebol


Briga por nova Arena evidencia guerra política na Ponte Preta

Projeto de nova Arena da Ponte Preta gera discussão no clube campineiro - Divulgação
Projeto de nova Arena da Ponte Preta gera discussão no clube campineiro Imagem: Divulgação

Marcello De Vico

Do UOL, em Santos (SP)

09/10/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Projeto da nova Arena da Ponte Preta tem causado conflitos internos no clube
  • Justiça concedeu liminares para que o tema não seja discutido em reuniões do Conselho
  • Diretoria diz que não reconhece a legitimidade do Conselho para discutir assunto
  • Conselho Deliberativo vê como patética a decisão da Justiça de proibir o debate

Ao mesmo tempo em que luta pelo acesso à elite na Série B do Campeonato Brasileiro, a Ponte Preta convive com uma conturbada briga política nos bastidores. O motivo principal é o debate em relação ao projeto da nova Arena, que pode vir a ser a nova casa do clube campineiro.

O projeto do novo estádio é liderado por Sergio Carnielli, ex-presidente da Ponte Preta e 'presidente de honra' do clube campineiro. Hoje, ele é desafeto da atual diretoria executiva, presidida por José Armando Abdalla Júnior, que rompeu com Carnielli por divergência de ideias após assumir o cargo, em dezembro de 2017.

A mesa do Conselho Deliberativo, por sua vez, seguiu ao lado de Carnielli, e vem tentando colocar o projeto da nova Arena em discussão nas reuniões, mas ainda não conseguiu.

Nos últimos meses, a Justiça concedeu, por duas vezes, uma liminar favorável à diretoria executiva da Ponte Preta impedindo que o "assunto Arena" fosse debatido nas reuniões do Conselho Deliberativo. A última decisão é do dia 24 de setembro.

"Considerando que a requerida voltou a publicar novo edital, tratando de conteúdo semelhante ao do primeiro, cuja liminar anterior obstou, e verificando presentes os requisitos legais tratados na primeira decisão, concedo nova tutela de urgência e determino que a requerida se abstenha de abordar o conteúdo do Item "C" ("Apresentação pela "Comissão da Arena", do status do "Projeto Arena da Ponte Preta" e apreciação e deliberação sobre a recomendação apresentada pela "Comissão da Arena"), na nova reunião datada para o dia 28 de setembro futuro, bem assim em qualquer outra reunião, até o julgamento da presente ação, sob pena de multa no valor de R$ 40.000,00 (quarenta mil reais) no caso de descumprimento", diz a decisão.

José Armando Abdalla Júnior, presidente da Ponte Preta - PontePress/LuizGuilhermeMartins
José Armando Abdalla Júnior, presidente da Ponte Preta
Imagem: PontePress/LuizGuilhermeMartins
A diretoria executiva alega que é ela quem tem o 'poder' de debater e discutir a nova Arena e de representar a Ponte Preta neste tema e em outros assuntos patrimoniais. O Conselho Deliberativo, por sua vez, considera ter o direito de responder sobre a Arena.

Procurada pela reportagem, a Ponte Preta diz que a diretoria executiva não reconhece a legitimidade da comissão da Arena para discutir o assunto e entende que o tema, assim como sempre aconteceu nos anos anteriores, deve partir da diretoria executiva. O clube ainda acrescenta que não é o momento de discutir a Arena.

Em entrevista ao UOL Esporte, o vice-presidente do Conselho Deliberativo da Ponte Preta, Pedro Benedito Maciel Neto, disse que a atual diretoria executiva vê a retomada do debate sobre a Arena como uma bandeira eleitoral de Sérgio Carnielli.

"Existe uma disputa política entre dois grupos. Quem está na diretoria executiva, que rompeu com o grupo liderado pelo Sérgio [Carnielli], e a diretoria vê a retomada do andamento do projeto da Arena como uma bandeira eleitoral do Sérgio. A maneira que a diretoria encontrou foi desqualificar o debate da Arena, como se isso fosse algo trágico", analisa.

Pedro Benedito ainda classifica como patética a decisão da Justiça de proibir o debate sobre o novo estádio pontepretano.

Sérgio Carnielli, presidente de honra da Ponte Preta - PontePress/DJotaCarvalho
Sérgio Carnielli, presidente de honra da Ponte Preta
Imagem: PontePress/DJotaCarvalho
"As liminares foram concedidas porque o pedido foi bem feito, mas, no momento em que nosso advogado apresentar os fatos, acho que o juiz vai rever isso. É uma liminar que impede o debate. Não há nada a ser deliberado. Como é que se defere uma liminar para impedir o debate? E a segunda liminar é mais agressiva, pois fala que a mesa está proibida de abordar o tema nas reuniões de Conselho. Nunca vi isso em 33 anos de advocacia", lamenta.

"Eles alegam que a mesa do Conselho estaria usurpando competência da diretoria executiva. O Conselho criou a comissão há dez anos. É meramente informativa. Nós estamos proibidos de abordar isso em reunião. É patético", acrescenta Pedro Benedito Maciel Neto.

Sérgio Carnielli tenta tirar o projeto da nova Arena do papel para que consiga recuperar os mais de R$ 100 milhões que tem para receber do clube por empréstimos feitos.

A nova Arena substituiria o Moisés Lucarelli, mas seria construída em um local mais afastado de Campinas. De acordo com o projeto que consta no site, lançado em agosto, a Arena terá capacidade para 22.204 lugares e já poderia começar a ser construída em 2020.

Futebol