Topo

UOL Esporte vê TV


"O saldo do Neymar está longe de um Ronaldo", afirma Rizek

Neymar concede entrevista em coletiva de imprensa em Cingapura - Pedro Martins/Mowa Press
Neymar concede entrevista em coletiva de imprensa em Cingapura Imagem: Pedro Martins/Mowa Press

Colaboração para o UOL, em São Paulo

09/10/2019 16h24

André Rizek concordou, em parte, com a declaração de Neymar sobre tratamento especial para os melhores jogadores. Após rever um trecho da entrevista do craque no Seleção SporTV desta quarta, o apresentador destacou que nem todos devem ser tratados da mesma forma, mas não vê o atacante do PSG nesta lista.

"Eu concordo com os argumentos dele, de que você não tem que tratar todo mundo igual. (...) Embora ele seja um dos principais jogadores do mundo hoje, na seleção brasileira, o saldo do Neymar está longe de um Ronaldo, de um Romário... Está muito distante. Na seleção brasileira, o Neymar ainda não foi esse jogador de entregar tanta coisa assim", defendeu Rizek.

"Mesmo que tivesse entregado, você não pode defender que ele seja tratado de forma diferente. A diferença é outra. Ele é profissional, já recebe mais do que os outros. Por que o treinado tem que tratá-lo de forma diferente?", discordou Lédio Carmona.

Presente na bancada, Ricardinho recordou sua passagem pela seleção brasileira, quando conviveu com Ronaldo e Ronaldinho. Para o comentarista, o problema não está no tratamento diferenciado, mas na forma com que o jogador recebe o privilégio.

"A questão não está em como é o tratamento. Eu já joguei com o Ronaldo, com o Ronaldinho, tive o privilégio de atuar na geração deles. Eles tinham um tratamento como os outros. Por mais que, em determinados momentos, tivesse alguma situação diferente, eles não se colocavam desta forma. A situação está não como o profissional é tratado, mas como ele recebe. Essa é a grande questão. E estes todos que eu falei sempre receberam de uma forma natural. Nunca se colocaram acima. Esta é a grande questão", disse Ricardinho.

"É legal o reconhecimento quando ele vem do grupo, quando você ocupa esse espaço, que acho que é o caso do Neymar. O Neymar ocupou um espaço diferente na profissão dele, por mérito dele. Agora, a questão está em como é tratado isso, como ele recebe e como ele se coloca em relação a esse tratamento", completou.

Na sequência, Rizek voltou a defender que Neymar não está no mesmo patamar de outros jogadores, como Ronaldo e Rivaldo, mesmo se bater recordes com a amarelinha. Nesta quinta-feira, às 9h, em amistoso contra Senegal, o atacante completará 100 jogos com a camisa da seleção brasileira.

"Para o Neymar se colocar neste patamar, acho que falta um bocado. Se você pegar os números de jogos e gols, ele tem tudo para ser o cara que mais vestiu a camisa da seleção e passar até o Pelé na artilharia, mas, números, neste caso, não traduzem a importância dele na comparação com Ronaldo, Romário, Rivaldo", concluiu o apresentador.