Topo

Polêmicas e gols marcaram passagem de vice-artilheiro do Brasileiro no SPFC

Gilberto comemora após marcar para o Bahia  - Gustavo Rabelo/Estadão Conteúdo
Gilberto comemora após marcar para o Bahia Imagem: Gustavo Rabelo/Estadão Conteúdo

Arthur Sandes e José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

08/10/2019 04h00

O São Paulo vai reencontrar um velho conhecido na partida de amanhã (9), em Salvador. Na briga por uma vaga na zona de classificação para a Copa Libertadores, o Bahia aposta as suas fichas em Gilberto, vice-artilheiro deste Campeonato Brasileiro com 11 gols. O atacante teve passagem pelo Morumbi marcada por apresentações boas e algumas polêmicas.

Após defender o Chicago Fire, dos Estados Unidos, Gilberto foi contratado pelo Tricolor paulista em julho de 2016 com a dura missão de substituir Calleri, que defendeu o time apenas durante meia temporada e conquistou a torcida com 16 tentos em 31 partidas.

Dentro de campo, Gilberto foi uma peça importante dentro do elenco do São Paulo, sendo reserva de luxo. No total, ele disputou 43 confrontos oficiais e marcou 15 gols. Mas fora de campo, o centroavante também chamou a atenção. Em outubro de 2017, quando o time brigava para fugir da zona do rebaixamento, o jogador curtiu um meme em que o São Paulo abraçava a Série B. A torcida já passou a reclamar do atacante, que se desculpou.

No dia a dia, ele também não tinha a simpatia de pessoas importantes no Morumbi. Talvez pela timidez, não cumprimentava ou conversava tanto com todos os dirigentes da época. Tal postura o afastava mais dos cartolas. A chegada de Lucas Pratto, em 2017, também fez com que o jogador achasse que teria menos oportunidade para jogar. Por isso, preferiu procurar uma outra equipe para defender.

"Voltei para o Brasil, em um momento em que não estava tão bem psicologicamente, e o São Paulo me deu um tratamento especial, de clube mesmo, coisa de família que te motiva a cada dia a melhorar. Eu peço desculpas, porque quando fui embora falei besteira. Deveria ter segurado um pouco mais a minha boca. Hoje, com a maturidade que eu tenho, vejo isso. Respeito a entidade, o clube São Paulo, assim como respeito o meu clube hoje que é o Bahia", disse Gilberto após o confronto com o Tricolor paulista, no primeiro turno do nacional.

O Bahia ainda pode contar com Rogério, que se recuperou de cirurgia no ombro. O atacante também defendeu o Tricolor paulista, entre 2015 e 2016. Apesar de não ser titular absoluto, fez gols importantes, como o da classificação para a Copa Libertadores de 2016. Porém, ele não caiu no gosto do técnico argentino Edgardo Bauza e acabou acertando com o Sport. Em 2017, Rogério Ceni até tentou trazê-lo para o Morumbi, mas a negociação não teve êxito.