Topo

Ataque sem Luiz Adriano liga sinal de alerta no Palmeiras antes de clássico

José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

07/10/2019 04h00

Não são apenas os cinco pontos de diferença para o Flamengo na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro que preocupam o Palmeiras. O fraco desempenho do setor ofensivo no empate por 1 a 1 com o Atlético-MG ontem (6), no Allianz Parque, liga o sinal de alerta para o Alviverde. Com Luiz Adriano poupado por causa de fadiga muscular, Borja ganhou uma chance de ser titular, mas não convenceu. Deyverson entrou no decorrer do confronto e também não brilhou.

A sorte é que a estrela de Dudu brilhou e o atacante conseguiu igualar o placar e fazer com que a equipe somasse ao menos um ponto no jogo com os mineiros. Para complicar ainda mais a situação, Deyverson recebeu o terceiro cartão amarelo e vai cumprir suspensão automática na próxima rodada. O Palmeiras vai enfrentar o Santos, adversário direto pelas primeiras colocações na competição, na quarta-feira, na Vila Belmiro. A expectativa é de que Luiz Adriano retorne.

"O Luiz Adriano tem feito o trabalho de recuperação. Ele teve um incômodo, mas já está melhor. Ele está nas mãos do nosso preparador físico, e com certeza no próximo treino ele vai estar à disposição", disse Sidnei Lobo, o assistente técnico, que ontem ficou no banco de reservas no lugar de Mano Menezes, que estava suspenso.

"Independentemente de jogar com o Borja, com o Adriano ou com o Dourado, é sempre bom ter essa possibilidade de usar um centroavante quando o time está perdendo. Espero que no próximo jogo o Adriano possa voltar. Ele está em boa fase e fez muita falta", completou Deyverson.

Sonho não acabou

Apesar de o Palmeiras estar cinco pontos atrás do Flamengo, os jogadores ainda não jogaram a toalha e acreditam na possibilidade de conquistar o título do Brasileirão.

"Será jogo grande [contra o Santos], um clássico. O Santos está fazendo um grande campeonato. É sempre muito difícil jogar lá na Vila contra eles. Vamos continuar brigando, o campeonato está aberto ainda, tem muitos pontos para serem disputados", afirmou Bruno Henrique.

"Conseguimos o empate [com o Atlético-MG], é não desaminar que ainda vamos tentar buscar o título", prometeu Dudu.

Arbitragem

A torcida do Palmeiras reclamou bastante da arbitragem de Rafael Traci no empate de ontem, com o Atlético-MG. O juiz anulou dois gols do Alviverde em que os jogadores estavam impedidos, e não pediu o auxílio do VAR em um lance em que o público viu pênalti. Os atletas do Palmeiras, no entanto, preferem não fazer críticas. Já os adversários reclamaram de um suposto pênalti de Felipe Melo, que também não teria sido apontado pelo VAR.

"Não tem que falar disso [lance de possível pênalti]. Temos que deixar para a diretoria. Nós, jogadores, temos que nos preocupar dentro de campo. A diretoria e o presidente que têm de falar sobre esses assuntos de arbitragem e VAR. Jogador não tem que dar palpite", afirmou Dudu.

Manifestação

Integrantes da principal organizada do Palmeiras, a Macha Verde, foram para a porta do Allianz para protestar contra os dirigentes do clube. Os nomes do diretor de futebol, Alexandre Mattos, e do presidente, Maurício Galiotte, foram citados. O grupo deixou o local depois que a polícia chegou.

Pendurados, suspensos e lesionados

A lista de pendurados do Palmeiras é formada por Antônio Carlos, Felipe Melo, Thiago Santos estão pendurados com dois cartões amarelos. Deyverson vai cumprir suspensão por ter recebido três amarelos. Mano ainda não deve contar com o lateral Mayke, que se recupera de cirurgia no tendão adutor, e com o volante Ramires, que passa por trabalhos específicos para se recuperar das consequências de um tratamento de lesão feito na China.

  • 53825

  • true

  • http://esporte.uol.com.br/enquetes/2019/10/06/qual-e-o-problema-do-ataque-do-palmeiras.js

Opinião dos blogueiros

Mauro Cezar Pereira

Foram 449 passes certos e 45 cruzamentos. Ou seja, para cada dez vezes nas quais a bola era tocada, com êxito, de um jogador para o outro, surgia um cruzamento. Assim se comportou o Palmeiras no empate com o Atlético, em São Paulo.

Menon

Foi um empate justo entre um time guerreiro e outro sem ideias. Melhor para o Flamengo, que tem as duas coisas: criatividade, luta e força mental. Cinco pontos na frente. Difícil pegar.

Palmeiras