Topo

Futebol


Esperón foi oferecido ao São Paulo e visto como "chapéu" do Grêmio no Inter

Ezequiel Esperón morreu na madrugada de ontem ao cair de um prédio na Argentina - Divulgação/Soccer House
Ezequiel Esperón morreu na madrugada de ontem ao cair de um prédio na Argentina Imagem: Divulgação/Soccer House

Marinho Saldanha e Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

07/10/2019 12h00

O volante argentino Ezequiel Esperón morreu ao cair de um prédio na madrugada de ontem (6), em Buenos Aires. Ainda que não tenha jogado nos times principais de Grêmio e Internacional, sua passagem pelos gaúchos foi marcante. A troca de clube entre os rivais gerou comemoração da torcida e aumentou a expectativa por ele, que nunca se confirmou. E tudo poderia ter sido diferente, já que antes de jogar no Colorado ele foi oferecido ao São Paulo.

A saída do Inter rumo ao Grêmio ocorreu em um a época complicada do Tricolor gaúcho. Antes da série de conquistas que teve, o time azul, branco e preto iniciava sua reconstrução. Pelas mãos do diretor Júnior Chávare, abria as categorias de base para jogadores de fora do país atrás de futuros craques.

No início de fevereiro, a torcida gremista tinha celebrado efusivamente a contratação do centroavante Henrique Almeida, que chegou a negociar com Inter e ir ao Beira-Rio em uma partida, mas acabou assinando com Tricolor gaúcho. Dias depois, outro jogador era "tomado" do rival: Esperón.

Contratado pelo Colorado do All Boys, da Argentina, ele esteve um ano no sub-20 vermelho. Não conseguiu se firmar, e ao fim do vínculo veio a possibilidade de trocar de clube em Porto Alegre. Não titubeou e, de graça, assinou com o Tricolor.

"Eu vi alguma coisa pelas redes sociais, e umas pessoas mais próximas comentaram comigo. Eu fiquei um ano aqui em Porto Alegre antes de ir para o Grêmio, e deu para ver que a rivalidade é muito forte. Para mim foi uma questão tranquila. Não sou do país e fiquei pouco tempo no Inter, nem deu para criar identificação, então para mim foi tranquilo", disse ao UOL Esporte na ocasião.

A mudança significou muita comemoração. No entanto, jamais rendeu oportunidades no time. Ele esteve em campo apenas uma vez pelo principal, em 2017, durante 45 minutos de jogo com o Cruzeiro pela Primeira Liga.

A torcida depositava muita confiança nas capacidades do argentino. Com a chegada dele, em 2016, o Grêmio reabriu o processo de contratação de jovens estrangeiros para sua base. No entanto, nenhum dos jogadores em que investiu chegou a atingir sucesso no time principal.

Definido como "volante de força", logo encontrou dura concorrência no time B do Grêmio. Um dos jogadores da posição era Arthur, hoje no Barcelona. Mas ainda assim tinha apoio da direção do clube. Ao fim de 2016, renovou por mais dois anos e deixou o Grêmio em 2018 para atuar pelo Atlante, do México.

Por lá, chegou ao time principal, fez 13 jogos e marcou um gol na primeira temporada. No ano seguinte, disputou mais 23 partidas.

A trajetória de Esperón pelo futebol brasileiro, porém, poderia ter sido totalmente diferente. Antes de assinar com o Internacional, ele foi oferecido ao São Paulo, que preferiu não investir na chegada do gringo.

Esperón morreu na madrugada de ontem ao cair do sexto andar de um prédio no bairro de Villa Devoto, em Buenos Aires. Segundo o jornal Clarín, ele tentou se apoiar em um parapeito que não estava firme. A estrutura cedeu, e o jogador não conseguiu escapar da queda. Ele chegou a ser socorrido e levado a um hospital, mas não resistiu.

Futebol