Topo

Futebol


Santos supera expulsão, vence o Vasco e cola no Palmeiras

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

05/10/2019 18h57Atualizada em 05/10/2019 21h13

Neste sábado (05), Vasco e Santos se enfrentaram no Estádio São Januário, em jogo válido pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2019. Em uma partida pouco equilibrada com domínio carioca, o Peixe conseguiu garantir a vitória em apenas um lance e com um jogador a menos, depois da expulsão de Evandro. Apesar da posse de bola e vantagem em número de jogadores, o time da casa não conseguiu reverter o placar depois de sofrer um gol no início do segundo tempo.

Com o resultado, o Santos permanece em terceiro lugar e chega aos 44 pontos, se aproximando do Palmeiras no topo da tabela. O Vasco continua em 13º lugar, com apenas 27 pontos, mas ainda está com a vaga garantida para a Sul-Americana.

Na próxima rodada, o Vasco viaja para Santa Catarina, onde enfrentará o Avaí sem o atacante Marrony e o zagueiro Leandro Castan, que levaram o terceiro cartão amarelo. O jogo está marcado para quinta-feira (10) às 19h15. O Santos tem o desafio de jogar em casa contra o Palmeiras, que está apenas dois pontos na frente. A partida acontecerá quarta-feira (09) na Vila Belmiro, às 21h30.

QUEM FOI BEM: EVERSON

O goleiro do Santos foi destaque na partida. Além de defender um pênalti cobrado por Rossi, Everson evitou que a bola do Vasco entrasse no primeiro tempo, quando o time carioca era visivelmente superior em campo. Apesar da melhora do Santos, que marcou no começo do segundo tempo, a defesa continuou falhando e facilitando o ataque vascaíno. Os erros do time da casa e a atuação do goleiro visitante impediram que o empate acontecesse.

QUEM FOI MAL: GUSTAVO HENRIQUE

O zagueiro do time paulista teve uma atuação irreconhecível na partida. Por escolha de Jorge Sampaoli, Gustavo Henrique jogou como meio-campo e não se mostrou adaptado à função. Apesar da péssima postura do time durante o confronto, o jogador foi pior, errou todos os passes que deu e desperdiçou as posses de bola do Santos. Um de seus lançamentos foi parar direto nas mãos do goleiro Fernando Miguel.

ATUAÇÃO DO VASCO

Apesar de jogar em casa, o Vasco iniciou a partida com uma atuação tímida. Após ver o Santos apresentar perigo, começou a aparecer mais e ganhar espaço. No primeiro tempo, o time comandado por Vanderlei Luxemburgo finalizou mais vezes que o oponente, mas desperdiçou todas as chances chutando para fora e acertando a trave do goleiro Everson.

Mesmo sofrendo um gol no início do segundo tempo, o Alvi Negro carioca continuou infiltrando a área de defesa do Santos com facilidade, mas sem conseguir marcar. As poucas vezes que o Peixe finalizou a bola, além do gol, Fernando Miguel conseguiu defender sem dificuldade.

ATUAÇÃO DO SANTOS

Sampaoli optou por centralizar os laterais Victor Ferraz e Jorge, que tiveram atuação de volantes no jogo. Jorge criou a primeira e única chance de perigo para o Santos durante o primeiro tempo. O Peixe preferiu apostar em bolas longas e lançamentos para o atacante Sasha, sem sucesso.

A equipe voltou mais centrada para o segundo tempo e não deu chances para o Vasco no começo. Abriu o placar em menos de cinco minutos com Tailson e recuou a bola. Apesar da péssima atuação da zaga e com um jogador a menos, o time conseguiu manter a vantagem no placar.

HISTÓRIA DO JOGO

Com menos de cinco minutos de jogo, o zagueiro Ricardo Graça, que estava no banco, correu e pediu para o supervisor do Vasco trazer uma chuteira nova para Rossi. O atacante a trocou antes de um escanteio. O jogo começou com o Santos pressionando no ataque e criando chance de gol antes dos dez minutos iniciais.

Aos poucos, o Vasco foi entrando no jogo e conquistando espaço, apesar de ainda perder bastante na marcação, facilitando a troca de passes do Peixe. O time carioca passou a dominar completamente o jogo depois de 30 minutos e manteve o ritmo até o final.

Aos 35 do primeiro tempo, em uma chegada de Rossi na área, o goleiro Everson acabou cometendo uma falta no atacante dentro da área. O árbitro Sávio Pereira não precisou checar o lance na beira do campo, apenas ouviu a cabine do VAR e deu o pênalti em favor do Vasco. Danilo Barcelos se preparou para bater, mas Luxa pediu para Rossi, que cobrou mal e facilitou a defesa do goleiro santista.

O primeiro tempo terminou sem gols e com uma atuação pobre do visitante, que tinha o domínio no começo do jogo e viu o time da casa crescer, com a criação de boas chances de gol, apesar de desperdiçadas.

O segundo tempo também começou com pressão do time paulista, que abriu o placar em menos de cinco minutos, com gol de Tailson, em sua estreia como profissional. O Peixe não deixou de pressionar, criando outra chance de gol dois minutos depois e colocando Fernando Miguel para trabalhar. Depois disso, o Santos optou por recuar a bola, mas a defesa falhou diversas vezes ao permitir que o ataque do Vasco entrasse na área.

O ritmo de jogo do Santos caiu e na tentativa de segurar a vantagem, o time começou a apelar para as faltas. Luan Peres e Soteldo levaram cartão amarelo e acabaram substituídos pelo técnico. Evandro foi expulso após uma falta duríssima em Marrony, que foi analisada pelo VAR.

Sem paciência com a desvantagem, o Vasco também apelou para as faltas, superando o número de cartões amarelos do Santos, com quatro no total. Ricardo, que estava no banco, recebeu cartão por reclamação aos 48 do segundo tempo. Mesmo com um jogador a mais e atuação superior, o Vasco não conseguiu evitar a derrota em casa, no jogo que teve seis minutos de acréscimo e vaias da torcida.

TORCIDA

A torcida do Santos viajou de ônibus para o Rio de Janeiro. Cansados, muitos dormiram meia hora antes do jogo e reclamaram do atendimento, que só tinha um bar servindo.

os torcedores do Vasco lotaram o São Januário apenas depois dos 15 minutos do primeiro tempo. A maioria permaneceu do lado de fora se refrescando, por conta do calor na capital carioca. Mesmo com as chances perdidas no primeiro tempo e o gol sofrido no começo do segundo, os vascaínos não deixaram de torcer para empurrar o time. Mas com a desvantagem na reta final do jogo, a torcida passou a cantar "Obrigação ganhar no Caldeirão". Rossi, que perdeu um pênalti, foi substituído e saiu de campo vaiado.

FICHA TÉCNICA
VASCO 0X1 SANTOS

Campeonato Brasileiro - 23ª rodada
Local: Estádio São Januário, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Sávio Pereira Sampaio
Auxiliares: José Reinaldo Nascimento Júnior e Nailton Júnior de Sousa Oliveira
VAR: André Luiz de Freitas Castro
Cartões Amarelos: Andrey, Marrony, Ricardo e Leandro Castan (Vasco); Luan Peres e Soteldo (Santos).
Cartão Vermelho: Evandro (Santos)
Gol: Tailson, aos 4 minutos do segundo tempo
Público e renda: 17.083 presentes e R$ 640.088,00

Vasco: Fernando Miguel; Yago Pikachu, Oswaldo Henríquez, Leandro Castan e Danilo Barcelos; Richard, Andrey (Felipe Ferreira) e Marcos Júnior (Clayton); Rossi (Ribamar), Marrony e Talles Magno. Técnico: Vanderlei Luxemburgo

Santos: Everson; Aquilar, Gustavo Henrique, Luan Peres (Alison) e Victor Ferraz; Diego Pituca, Evandro e Jorge; Tailson (Marinho), Eduardo Sasha e Sotoledo (Felipe Jonatan). Técnico: Jorge Sampaoli

Mais Futebol