Topo

Futebol


Duelos contra o Inter potencializaram maiores problemas do Cruzeiro no ano

Erros defensivos, demissões de treinador e eliminação: Internacional se transformou em adversário indigesto para o Cruzeiro - Ricardo Duarte/SC Internacional
Erros defensivos, demissões de treinador e eliminação: Internacional se transformou em adversário indigesto para o Cruzeiro Imagem: Ricardo Duarte/SC Internacional

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

05/10/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Duelo do primeiro turno expôs falhas graves defensivas do Cruzeiro na temporada
  • Derrota na primeira semifinal da Copa do Brasil culminou na saída de Mano Menezes
  • Eliminação na Copa do Brasil ficou marcada por início do desgaste entre Thiago Neves x Ceni
  • Equipes se reencontram e Cruzeiro não pode se dar ao luxo de perder mais pontos em casa

Adversário do Cruzeiro às 21h de hoje, no Mineirão, o Internacional não é o maior responsável por essa que é apontada a maior crise em toda a história da agremiação mineira. Mas nos três duelos que jogou contra a Raposa em 2019, o Colorado teve papel importante para tornar ainda mais nítido alguns problemas sérios do adversário, comprometendo o clube desde a saída de funcionários até a situação financeira.

O primeiro duelo entre as equipes na temporada aconteceu no dia 12 de maio. Pelo primeiro turno do Brasileirão, o Cruzeiro sofreu uma derrota por 3 a 1. Naquele encontro, algumas futuras falhas do Cruzeiro já chamavam atenção. Todos os três gols do Inter contaram com 'uma ajudinha celeste'. Os mineiros não conseguiram afastar a bola e permitiram o rebote em todos os gols, sendo que um deles o Inter teve quatro oportunidades de finalização até balançar as redes.

O novo encontro ocorreu pela semifinal da Copa do Brasil. Após a Copa América, o técnico Mano Menezes já estava na corda bamba, com somente uma vitória nos 17 jogos anteriores. Atuando no Mineirão, o Inter venceu por 1 a 0 e ainda teve chances de aumentar a vantagem, mas parou nas boas defesas do goleiro Fábio. Após o revés, Mano acertou sua saída do Cruzeiro. Financeiramente, a futura eliminação do torneio também seria muito ruim para o Cruzeiro, que convive com salários atrasados até hoje e apostava na premiação milionária para reequilibrar suas contas.

Por fim, o último confronto, também pela Copa do Brasil, mexeu com as estruturas do Cruzeiro novamente. Desta vez, o time já era comandado por Rogério Ceni, que apostava suas fichas na recuperação do elenco para conquistar um título que nunca teve como goleiro. Mas a estratégia do comandante não deu certo e também não deixou seus jogadores satisfeitos. Na tentativa de criar algo novo, Rogério fez mudanças na equipe e até improvisou jogadores.

Em campo, a equipe falhou muito na saída de bola e mal conseguia uma transição de jogada sem passar tantos sustos. Depois de levar 3 a 0 em campo, Thiago Neves questionou publicamente as decisões do treinador, transformando aquela eliminação em um início de desgaste que só aumentou e que teve como consequência a demissão de Ceni pouco mais de 20 dias depois.

Agora, o Inter entra novamente no caminho do Cruzeiro e pode ser indigesto mais uma vez. Brigando pelo G-4, o Colorado tem 37 pontos e tentará se aproveitar do momento ruim do adversário para vencer mais um jogo no Brasileirão. Ao Cruzeiro, nada além da vitória interessa. Com apenas 19 pontos, o clube não tem chances de deixar a zona de rebaixamento nesta rodada nem no melhor dos cenários. Portanto, nem um empate é cogitado na Toca da Raposa. Na beira do campo, a chegada de Abel, ex-Inter, simboliza a esperança do torcedor em ver seu time jogando melhor e reencontrando o caminho dos triunfos.

CRUZEIRO x INTERNACIONAL

Motivo: 23ª rodada do Brasileirão
Data/Hora: 05/10/2019, às 21h (de Brasília)
Local: Mineirão, em Belo Horizonte
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP) e Carlos Henrique de Lima Silho (RJ)
VAR: Pathrice Wallace Corrêa Maia (RJ)

CRUZEIRO: Fábio; Orejuela, Dedé, Fabrício Bruno, Egídio; Éderson, Ariel Cabral (Jadson); Thiago Neves, Robinho, David; Fred. Técnico: Abel Braga.

INTERNACIONAL: Marcelo Lomba; Heitor, Bruno Fuchs, Víctor Cuesta e Zeca; Rodrigo Lindoso, Edenílson, Nonato (D'Alessandro), Nico López e Patrick; Guerrero. Técnico: Odair Hellmann.

Mais Futebol