Topo

Conselho do Cruzeiro mira impeachment de Wagner após afastamento de 4 meses

Presidente Wagner Pires de Sá pode ser afastado do Cruzeiro - Bruno Haddad/Cruzeiro
Presidente Wagner Pires de Sá pode ser afastado do Cruzeiro Imagem: Bruno Haddad/Cruzeiro

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

03/10/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Conselho do Cruzeiro quer afastamento de 120 dias da gestão de Wagner Pires de Sá
  • Zezé Perrella revela ao UOL que pretende solicitar o impeachment da atual gestão do clube após o pedido de afastamento
  • Atual presidente do Conselho Deliberativo, Zezé Perrella não gostaria de voltar como mandatário do clube neste momento
  • Para afastar o atual presidente do clube, serão necessários 50% dos votos mais um
  • Para impedimento definitivo, uma Assembleia Geral deveria ser convocada. Nela, 2/3 dos votos seriam necessários para tirar a cúpula atual

Zezé Perrella, presidente do Conselho Deliberativo do Cruzeiro, não quer apenas o afastamento da atual diretoria, o qual será votado em 21 de outubro. A intenção dele e do grupo de oposição é conseguir também a cassação do mandato de Wagner Pires de Sá.

Inicialmente, o responsável pelo Conselho Deliberativo pretende o afastamento da direção atual por 120 dias. Se a decisão for favorável ao afastamento, um conselho gestor com aproximadamente cinco pessoas deverá ser formado para administrar o clube. Perrella não gostaria de administrar a agremiação no período por temer um possível rebaixamento para a Série B do Brasileirão.

Na sequência, se obtiver uma resposta positiva do Conselho para afastar o dirigente, a ideia de Zezé Perrella, ex-senador de Minas Gerais, é conseguir o impeachment de Wagner Pires de Sá.

"Nós vamos pedir o afastamento por 120 dias. Depois desses 120 dias, nós podemos trabalhar a segunda etapa, que é pedir o afastamento definitivo", disse Zezé Perrella ao UOL.

O edital para a convocação oficial dos conselheiros será divulgado oficialmente nesta quinta-feira. O encontro ocorrerá em um hotel de Belo Horizonte. Para afastar o atual presidente do clube, serão necessários 50% dos votos mais um. "Como se trata de um afastamento, e não um impeachment, basta ter 'metade mais um' dos votos na reunião extraordinária", explicou Zezé Perrella.

Para impedimento definitivo, uma Assembleia Geral deveria ser convocada. Nela, 2/3 dos votos seriam necessários para tirar a cúpula atual.

A reunião para votação do afastamento será feita em 21 de outubro de 2019, às 19h (de Brasília), no Dayrell Hotel e Centro de Convenções, no centro de Belo Horizonte.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Cruzeiro