Topo

São Paulo esgota paciência da torcida, ouve vaias e vê Cuca sob pressão

Rubens Chiri / saopaulofc.net
Imagem: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Arthur Sandes e José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

26/09/2019 04h00

A derrota por 1 a 0 para o Goiás, ontem à noite, joga o São Paulo em um cenário inédito na temporada: torcida de paciência esgotada, vaias no Morumbi e protesto direcionado a vários jogadores, ao presidente Leco e também a Cuca. O próprio treinador dá razão às manifestações e já não se sente seguro no cargo. Tudo isso a três dias de visitar o líder do Brasileirão.

O que aumentou a decepção na derrota de ontem foi a atuação do time, que cruzou 38 bolas na área sem muito critério ou estratégia. De modo geral o São Paulo tentou bastante contra o Goiás, mas sofreu o gol em um erro coletivo grave e, daí em diante, não foi capaz de transformar a presença no campo de ataque em gols. Tentou 13 chutes, mas só quatro com direção; também perdeu um pênalti com Reinaldo, sem encontrar o caminho do empate.

"Se eu tivesse no lugar deles, estaria xingando o treinador do meu time que não ganha do CSA e do Goiás em casa"
Cuca, técnico

O mau resultado motivou protesto na saída do Morumbi. Cerca de 40 torcedores se juntaram no portão principal para cobrar o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, criticar Cuca e xingar uma série de jogadores. Antony, Helinho, Everton e Toró foram alvos, assim como Tchê Tchê e Pablo, dois destaques da temporada tricolor. Sobrou até para Hudson, que nem entrou em campo contra o Goiás.

Cuca sob risco?

Cuca não tem planos de voltar a trabalhar em campo nesta temporada - Getty Images
Cuca não tem planos de voltar a trabalhar em campo nesta temporada
Imagem: Getty Images
Técnico que não vence com time grande, já sabe? O próprio Cuca deixou claro em sua entrevista coletiva o receio de deixar o cargo, ainda que o departamento de futebol lhe dê respaldo. Além dos torcedores, parte dos conselheiros e sócios do clube já aumentaram a pressão interna pela troca do comando técnico da equipe. Mas a diretoria de futebol o mantém.

Nos bastidores do Morumbi, neste momento não há qualquer movimentação para a saída de Cuca. O treinador atualmente tem 51,1% de aproveitamento no São Paulo, acima de André Jardine (41%) ou Vagne Mancini (48%), mas abaixo de Diego Aguirre (55,8%), que comandou a equipe na temporada passada.

"A gente entende ele [Cuca] como líder do nosso grupo, nosso treinador. É lógico que ele vai nos defender, mas nós vamos defendê-lo também"
Tiago Volpi, goleiro

Leco volta a ser vidraça no São Paulo

Como de costume desde que assumiu a presidência do clube, em outubro de 2015, Carlos Augusto de Barros e Silva virou motivo para críticas de torcedores após um fracasso do Tricolor paulista. No protesto da organizada, na porta do estádio, também era alvo de xingamentos. O dirigente não passou pela zona mista do estádio para falar com a imprensa depois do revés.

Time é chamado de "sem-vergonha" e "amarelão"

O São Paulo foi vaiado já no intervalo, ontem, após fazer primeiro tempo sofrível. Na etapa final as reclamações da torcida aumentaram, e o Morumbi praticamente vazio ecoou várias críticas. O time foi chamado de "sem-vergonha" ainda com a bola rolando, e virou "amarelão" no protesto dos torcedores organizados, em frente ao portão do estádio.

No sábado, visita ao líder

O São Paulo volta a campo às 19 horas (de Brasília) deste sábado (28) para enfrentar o Flamengo, no Maracanã. O time carioca é líder do Brasileirão com 48 pontos, vive sequência de oito vitórias e não perdeu um ponto sequer em casa neste campeonato. Cuca pode contar com Hernanes, que volta de suspensão, mas deve perder Toró, que saiu machucado ontem. Alexandre Pato ainda trata um estiramento e dificilmente joga, enquanto Raniel tenta se livrar de dores no joelho.

Quem é o culpado pela crise no São Paulo?

Resultado parcial

Total de 6106 votos
23,11%
 Marcello Zambrana/AGIF
43,42%
Marcello Zambrana/AGIF
6,22%
Marcello Zambrana/AGIF
22,93%
Marcello Zambrana/AGIF
4,32%
Alan Morici/AGIF
Total de 6106 votos