Topo

Brasileirão - 2019


Luxa acusa Athletico de ser "time mais argentino do Brasil"; Nunes responde

Do UOL, em São Paulo

22/09/2019 19h16

Campeão da Copa do Brasil há quatro dias e pedra no caminho do Vasco no jogo de hoje (22) do Brasileirão, o Athletico-PR foi acusado pelo técnico Vanderlei Luxemburgo de praticar antijogo. O treinador rubro-negro, Tiago Nunes, negou desonestidade.

Durante entrevista coletiva concedida em São Januário após o empate de 1 a 1, o cruzmaltino Luxemburgo comparou o Athletico a equipes argentinas, cujas imagens são tradicionalmente associadas ao comportamento de catimba de seus jogadores.

"É o time mais argentino do Brasil hoje. Se pegarem a final da Copa do Brasil, contra o Inter, mesmo contra o Flamengo (nas quartas de final), é o time que mais toma tempo do jogo. Com morosidade no atendimento, jogadores caindo toda hora, ganhando tempo na lesão, goleiro ganhando tempo... É um time que sabe estar com o resultado e fazer a coisa que o argentino faz muito bem", disse.

Luxemburgo ainda citou um outro jogo recente do Athletico pelo Brasileirão: o empate de 1 a 1 contra o Santos, na Vila Belmiro, de duas semanas atrás. Na ocasião, o treinador argentino Jorge Sampaoli discutiu veementemente com o rubro-negro Tiago Nunes.

"No jogo da Copa do Brasil, viram o que fizeram contra o Inter. Contra o Santos isso foi bastante latente também, na Vila Belmiro, houve reclamação muito grande dos profissionais do Santos porque eles fizeram antijogo o tempo todo, ganhando tempo, caindo o tempo todo", recordou Luxemburgo.

"Respeito muito o trabalho do treinador nessa equipe [Tiago Nunes]. A partida foi muito tensa, extremamente paralisada. A responsabilidade também é dos que conduzem a partida. Dos nossos jogos, foi a mais grosseira nesse aspecto. O time toda hora paralisava o jogo. Foi grosseiro e isso gerou tensão. Mas não há rancor por nada", falou Sampaoli no último dia 8.

Cabe ressaltar que, assim como Sampaoli descartou "rancor" contra a postura do Athletico, Luxemburgo também evitou entrar em maiores polêmicas frente ao atual campeão da Copa do Brasil: "Não quero tirar o mérito deles não, pelo amor de Deus. O time é capacitado, um grande treinador começando sua carreira. Acho que nós conquistamos um ponto importante, não perdemos dois, porque é difícil [enfrentar o Athletico]", finalizou o comandante vascaíno.

Tiago Nunes responde: "Respeitamos a lei do jogo"

Pouco depois da entrevista de Luxemburgo, Tiago Nunes também conversou com os jornalistas em São Januário. Questionado sobre a comparação com times argentinos feita por Luxemburgo, o treinador do Athletico negou que sua equipe pratique antijogo e apontou a arbitragem como responsável por eventual morosidade nas partidas.

"Sou um 'fãzaço' do Luxemburgo, do Felipão, do Abel, do Muricy... Esses caras fizeram o futebol brasileiro mudar de patamar. Tenho admiração e respeito por ele [Luxa]. Comparar com outras escolas é complicado, porque são contextos diferentes que vivemos. Acho que somos pouco competitivos comparando com River Plate, Boca Juniors. Questão de controlar tempo passou mais pela arbitragem do que pela gente. A arbitragem parou o jogo bastante, faltas, avaliações do VAR um pouquinho demoradas e polêmicas. Dentro disso, o jogo ficou quebrado", argumentou Tiago Nunes, antes de reforçar seu entendimento de legalidade da postura athleticana:

"Não fazemos nada além da lei do jogo, respeitamos a lei do jogo, fazemos de maneira honesta. O mediador é o árbitro, que tem de tomar as atitudes que imaginam cabíveis em qualquer situação que acredita-se ser antijogo."