Mais informação com menos tempo de leitura
Topo

Como o Inter pretende reverter a vantagem do Athletico Paranaense

Odair Hellmann, técnico do Inter, vibra com atuação do time no Beira-Rio - Ricardo Duarte/Inter
Odair Hellmann, técnico do Inter, vibra com atuação do time no Beira-Rio Imagem: Ricardo Duarte/Inter

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

18/09/2019 12h00

Não é apenas no Beira-Rio que o Inter acredita. O Colorado decide hoje (18) às 21h30 (de Brasília), o título da Copa do Brasil com o Athletico-PR e precisa reverter a vantagem que os visitantes conquistaram ao vencer o jogo de ida por 1 a 0. E a crença de que isso é possível não está embasada apenas em aspectos emocionais.

É claro que a pressão da torcida e o ambiente criado fará diferença. Sob a ótica gaúcha, o apoio ao time, que começa desde antes da bola rolar com a festa conhecida como "Ruas de Fogo" no entorno do estádio, ou a pressão ao adversário desde o início da partida será importante para a reversão do quadro. Mas não será somente isso que quebrará o jejum de 27 anos sem conquistas nacionais.

"A gente recebe dados, muitas informações sobre o time deles em casa e fora. É difícil falar. Podemos esperar tudo, mas posso dizer que estamos trabalhando nos bastidores, com vídeo, no campo também, para se preparar para qualquer situação. Sabemos da qualidade deles, é difícil falar o que vai acontecer. Por isso, nos preparamos para tudo", avaliou o volante Rodrigo Lindoso.

Postura ofensiva, marcação alta, retomada no campo rival

Os números do Inter confortam. A postura do time em casa normalmente é intensa, ofensiva, pressiona o adversário, força o erro. O Colorado tem média de 17,3 desarmes por partida no Beira-Rio, sendo que 26,3% deles no campo do adversário. Ou seja, retoma a bola mais de um quarto das vezes mais perto do gol adversário do que do seu.

Com 54% de posse média de bola e ao menos 35 lances na última fatia de campo, o time de Odair Hellmann costuma "martelar" atrás do gol desde o primeiro minuto, ainda mais com o combustível que recebe do grito da torcida.

Não basta tentar, tem que conseguir

E nenhum número de retomada, posse, ou criação adiantaria se não houvesse conclusão ou mesmo gols. E há. Sob seus domínios, o Internacional finaliza quase 11 vezes por jogo, em média. E tem vencido os goleiros adversários.

Na Copa do Brasil, três jogos até agora como mandante, 100% de aproveitamento, sete gols marcados, apenas um sofrido. Na temporada toda são quase 80% de aproveitamento no Beira-Rio. A última derrota como mandante ocorreu pelo Estadual, no distante 27 de março.

"Somos muito fortes em casa, os números mostram isso. Mas não adianta ter números e não colocar em prática. Precisamos estar atentos, ser cirúrgicos, fazer a nossa parte para comemorar o título no final", completou Lindoso.

Equipe consolidada, sem grandes alterações

Uma das frases mais repetidas nos dias que antecederam a decisão foi: "não podemos nos esquecer do que nos trouxe até aqui". E tal afirmação mostra o quanto consolidada está a ideia de jogo do Inter. Mesmo prestes a decidir um título, algo que não acontecia no âmbito nacional há 10 anos, e possibilidade de quebrar um jejum de 27 anos sem conquistas deste tipo, o plano é seguir o que está sendo feito.

Ainda que D'Alessandro tenha sofrido um desconforto em um trabalho no último domingo e possa não jogar, Sobis repete os movimentos pela direita e o plano tático pode ser mantido.

FICHA TÉCNICA
INTERNACIONAL X ATHLETICO-PR
Data e hora:
18/09/2019 (quarta-feira), às 21h30 (Brasília)
Local: estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO)
Auxiliares: Émerson Augusto de Carvalho (SP) Bruno Raphael Pires (GO)
VAR: Bráulio Machado (SC)
INTERNACIONAL: Marcelo Lomba; Bruno, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Uendel; Rodrigo Lindoso, Patrick, Edenilson, D'Alessandro (Sobis) e Nico López; Paolo Guerrero.
Técnico: Odair Hellmann
ATHLETICO-PR: Santos; Khellven, Robson Bambu, Léo Pereira e Márcio Azevedo; Wellington, Léo Cittadini e Bruno Guimarães; Nikão, Marco Ruben e Rony.
Técnico: Tiago Nunes

Mais Internacional