Topo

Futebol


Ex-lateral do PSG comenta vaias a Neymar: "Espero que ele tenha aprendido"

Neymar comemora gol marcado para o PSG contra o Strasbourg já nos acréscimos da partida - REUTERS/Gonzalo Fuentes
Neymar comemora gol marcado para o PSG contra o Strasbourg já nos acréscimos da partida Imagem: REUTERS/Gonzalo Fuentes

do UOL, em São Paulo

16/09/2019 08h04

O ex-lateral Paulo César, que atuou entre 2002 e 2007 com a camisa do Paris Saint-Germain e também passou pelo Santos, esteve presente no Parque dos Príncipes durante a vitória do seu ex-clube contra o Strasbourg, por 1 a 0, disputada no sábado (14), com direito a uma pintura de Neymar.

Na partida, o atacante da seleção brasileira, que voltou a jogar pelo PSG após uma negociação frustrada com o Barcelona, foi vaiado durante os 90 minutos pela própria torcida. No entanto, Neymar fez um golaço de voleio já nos acréscimos e decretou a vitória do time de Paris.

Em entrevista ao jornal "Le Parisien", Paulo César, que hoje é diretor do CA Paris, time amador francês, elogiou a partida de Neymar.

"Ele foi inteligente. No 1° tempo, quase não segurou a bola, passava rápido porque sabia que seria vaiado", afirmou. O ex-lateral também disse "entender" a reação dos torcedores. "Comparado ao que aconteceu durante todo esse tempo, parece perfeitamente normal. Os torcedores que defendem o clube têm o direito de demonstrar isso. Espero que não dure muito, porque esse ambiente estranho não penaliza apenas Neymar, mas também o time".

Em relação à imagem do atacante, Paulo César alfinetou o comportamento de Neymar fora do campo. "Redes sociais podem sujar uma reputação. Ele deve saber como estabelecer limites nessa área. Normalmente com a idade, você se senta e progride mentalmente. Espero que ele tenha aprendido algumas coisas".

O ex-lateral, no entanto, acredita no "melhor retorno" de Neymar e considera que o brasileiro "sente falta de jogos importantes", já que sofreu com duas lesões em sequência nos últimos meses. "Conhecemos suas habilidades, por isso é normal esperar muito melhor dele".

Volta com golaço

Depois de mais de três meses, Neymar voltou aos gramados com a camisa do PSG. Desde antes do início da partida, o brasileiro foi perseguido pela própria torcida com vaias e xingamentos. Antes do jogo, o Coletivo Ultra, principal organizada do PSG, divulgou uma nota oficial prometendo ser indiferente ao jogador.

A raiva da torcida também chegou ao pai de Neymar. Os torcedores exibiram uma faixa escrita "Neymar Sr, venda o seu filho na Vila Mimosa". A Vila Mimosa é uma das mais famosas áreas de prostituição do Rio de Janeiro. Gritos de "babaca" também foram entoados sobre o pai do atacante.

Com a bola rolando, Neymar não se escondeu. O camisa 10 buscou o jogo, encarou a forte marcação dos visitantes e teve boas chances de finalização. Nada disso, porém, serviu para amenizar a relação do brasileiro com a torcida ao longo dos 90 minutos. Nos acréscimos, um voleio do craque decretou a vitória ao time da capital francesa.

Pintura de Neymar garantiu a vitória do PSG contra o Strasbourg no Campeonato Francês - GONZALO FUENTES / REUTERS
Pintura de Neymar garantiu a vitória do PSG contra o Strasbourg no Campeonato Francês
Imagem: GONZALO FUENTES / REUTERS

Horas após a partida acabar, o astro se manifestou em entrevista concedida na zona mista do estádio e confirmou o desejo de sair. "Já joguei em vários estádios sendo vaiado. É triste, mas sei que a partir de agora será como jogar todo jogo fora de casa. Deixo claro que não tenho nada contra os torcedores, nem nada contra a entidade Paris Saint-Germain, mas todo mundo sabe que eu queria sair sim, e deixei claro isso. Mas não vou entrar em detalhes do que aconteceu nas negociações".

Neymar também disse não ficar incomodado com as vaias. "Não preciso que gritem meu nome e nem que estejam ali por mim. E, sim, pelo PSG. A boca que pita é a mesma que grita gol. Eles vaiaram o jogo todo e, no final, tiveram que gritar gol", desabafou.

Mais Futebol