Topo
Comprar ingresso
Comprar ingresso

Corinthians volta à estaca zero no Brasileirão antes de semifinal inédita

Gustavo, durante partida entre Corinthians e Fluminense, pelo Brasileirão - MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC
Gustavo, durante partida entre Corinthians e Fluminense, pelo Brasileirão Imagem: MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC

Do UOL, em São Paulo

16/09/2019 04h00

A primeira derrota do Corinthians em 15 jogos, registrada ontem (15) em duelo com o Fluminense, expõe um saldo quase nulo do período de invencibilidade alvinegra no que diz respeito à luta pelo título do Campeonato Brasileiro. A situação dos comandados de Fábio Carille na competição contrasta com a semifinal da Copa Sul-Americana, inédita na história do Timão, que começa já nesta quarta-feira.

Das 14 partidas que ficou sem perder desde a retomada do calendário nacional pós-Copa América, o Corinthians disputou dez delas pelo Brasileirão: venceu cinco e empatou outras cinco. A invencibilidade com excessivo número de empates resultou em uma pequena, e ainda assim relativa, aproximação da liderança.

Antes da Copa América, o Corinthians, ainda na décima posição, tinha 13 pontos a menos que o então líder Palmeiras. Hoje, encerrado o primeiro turno, o Timão, em quinto, está a dez pontos de distância do primeiro colocado Flamengo. As diferenças de três pontos e cinco posições tiradas pela equipe alvinegra desde então, contudo, ainda têm um asterisco.

A vitória sobre o Goiás, conquistada no dia 7 de agosto, foi na verdade válida pela sétima rodada, em jogo adiado do período pré-Copa América. Levando tal observação em conta, formalmente o Corinthians teria dez pontos de distância para a ponta finalizadas as nove rodadas que antecederam a pausa. Nessa projeção, estaria também empatado em número de pontos com o sexto colocado da época.

Em outras palavras, derrota para o Fluminense recolocou o time de Carille na "estaca zero" em relação à disputa pelo título nacional. Cabe ressaltar que, ao longo dos últimos dois meses, o Corinthians viveu seu auge ao vencer o Atlético-MG, saltar para a terceira posição e ficar a cinco pontos do líder Flamengo. Nas duas rodadas seguintes, empatou em casa com o Ceará e perdeu em campo neutro para o Tricolor carioca.

"Falando das 19 rodadas, até a parada tivemos dificuldade, como no Paulista. Estava difícil, mas era esperado por formar um time novo. Usamos a intertemporada para preparar o time, mas agora tem cara de time, com entendimento", justificou Carille, após o revés de ontem em Brasília. Depois, o treinador ponderou: "Tem muita coisa para acontecer, mas fica difícil quando os da frente ganham e a gente não. Mas tem muita coisa para rolar". O Flamengo vem de uma sequência de seis vitórias.

Mesmo aproveitamento, mas resultado diferente

As outras quatro partidas de invencibilidade do Corinthians nos últimos dois meses valeram pela Sul-Americana. A média de quatro pontos conquistados a cada seis disputados se manteve também no torneio continental: duas vitórias (ambas sobre o Montevideo Wanderers, do Uruguai) e dois empates (ambos contra o Fluminense).

Diferentemente do que aconteceu no Brasileirão, porém, o Corinthians não voltou à estaca zero. Pelo contrário: foi das oitavas da Sul-Americana para a inédita participação nas semifinais. Como a partir desta temporada as competições da Conmebol terão final em jogo único, o Timão está a três partidas de tentar seu primeiro título no torneio. É inegável que se trata do caminho mais fácil (ou ao menos mais curto) rumo a uma taça neste segundo semestre.

O Corinthians abre sua participação nas semifinais justamente no primeiro jogo pós-quebra da invencibilidade, já nesta quarta-feira, às 21h30, contra o Independiente del Valle, do Equador, na Arena Corinthians. "Agora precisa uma atenção maior, uma concentração maior. Já virei a chave para essa partida [da Sul-Americana], amanhã [segunda-feira] defino o time, para que a gente consiga fazer um grande jogo e tirar vantagem em casa", projeta Carille.

O duelo decisivo contra os equatorianos está marcado para quarta-feira da semana que vem, em Quito. Antes, no sábado, o Timão recebe o Bahia em Itaquera pelo início do returno do Brasileirão. Resta saber se Carille e companhia tentarão de novo sair da estaca zero no certame nacional ou apostarão de vez suas fichas na Sul-Americana.

Mais Corinthians