Topo

Substituto de Victor vira protagonista no Atlético-MG e perde sono com erro

Cleiton, goleiro do Atlético-MG - Bruno Cantini/Divulgação/Atlético-MG
Cleiton, goleiro do Atlético-MG Imagem: Bruno Cantini/Divulgação/Atlético-MG

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

12/09/2019 04h00

A vida do goleiro Cleiton mudou em 2019. A tendinite no joelho direito de Victor o transformou em titular da Atlético-MG em poucos dias. Passou tudo rapidamente: tão logo assumiu vaga, se tornou protagonista e já tem até oferta para renovar o contrato. Intocável no time de Rodrigo Santana, chegou à seleção brasileira sub-23. No entanto, no último jogo antes da apresentação à equipe nacional, o goleiro cometeu um erro que o deixou até sem dormir.

Nos minutos finais do jogo com o Corinthians, em São Paulo, o atleta de 22 anos cobrou tiro de meta nos pés de Mateus Vital. Contra um time que se defende tão bem e apenas espera o deslize do adversário, foi fatal. O meia-atacante acionou rapidamente o centroavante Gustavo, que balançou a rede com tranquilidade. A falha culminou no revés por 1 a 0 - o terceiro da série de quatro derrotas consecutivas.

Um equívoco que custou ao menos um ponto na classificação do Campeonato Brasileiro 2019 e que deixou o jovem goleiro sem dormir por duas noites seguidas. "É complicado. Foli um jogo em que estava tranquilo. Eu estava muito bem lá. No final, acabou que houve um desentendimento: tentei sair jogando por cima ali. Não consegui dormir nos dois dias seguintes. Acabei sofrendo um pouco", disse o goleiro.

Dois dias após o tropeço na Arena Corinthians, veio uma viagem pela redenção. Cleiton viajou para se apresentar à seleção brasileira sub-23. Titular nas vitórias sobre Colômbia e Chile, fez defesas importantes e, em uma delas, dominou uma finalização com o peito, chamando a atenção da torcida atleticana.

"Depois desses dias [sem dormir], fui para a seleção e voltei ao normal. Faz parte desse processo, sofrer um pouco, tratar como aprendizado", afirmou, citando na sequência a defesa feita contra os chilenos. "Eu não considero uma defesa ousada, mas eu sou assim, sem desmerecer o adversário. Foi um pouco de instinto. Eu consegui controlar a bola e sair jogando, que é o objetivo. As defesas são reflexo do meu treinamento. Eu venho trabalhando aqui e consegui fazer o mesmo na seleção brasileira".

De volta à Cidade do Galo, Cleiton retoma a condição de titular, mesmo que Rodrigo Santana tenha um novo jogador à disposição no setor: Wilson. O veterano, contratado por quatro meses, será o reserva imediato do atleta de 22 anos.

Atlético-MG