PUBLICIDADE
Topo

Aguilar quer deixar erros para trás: "Como treino para não escorregar?"

Felipe Aguilar concede entrevista coletiva no CT do Santos - UOL
Felipe Aguilar concede entrevista coletiva no CT do Santos Imagem: UOL

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

12/09/2019 16h03

O zagueiro Felipe Aguilar sofreu duras críticas da torcida nos últimos jogos após seguidas falhas que acabaram decidindo o clássico contra o São Paulo e o duelo contra o Fortaleza. No entanto, o colombiano quer deixar os erros no passado e voltar a atuar bem pelo Santos na prova de fogo deste sábado, às 17h, contra o Flamengo, no Maracanã.

O defensor acredita que levou azar nas jogadas. Por duas vezes o colombiano escorregou e a jogada acabou em gol do adversário. O primeiro escorregão foi contra o São Paulo, quando Pato marcou o terceiro tento tricolor, e o segundo nos minutos finais do empate contra o Fortaleza, que terminou em gol de Tinga para igualar o marcador.

"Como se trabalha para não escorregar? Pode acontecer, né? Caí duas vezes. É importante manter a calma, o trabalho, e acreditar. São dias difíceis e temos que levantar e continuar. Meus jogos no Brasil, dos 35, são melhores que piores. Continuarei trabalhando firme", afirmou Aguilar em entrevista coletiva e completou:

"Para mim foi difícil ter errado nesse jogo e desse jeito. Escorreguei, fiz pênalti em um clássico... O que eu posso fazer? Errei, como falei, ideia é não errar, mas trabalhamos para fazer as coisas bem. Em algumas situações as coisas não saem bem e erramos. Fui eu quem errei, não darei desculpas. Assumo meu erro como fiz nas outras vezes."

O colombiano sabe da importância de uma atuação impecável no jogo deste sábado, quando o Peixe terá a difícil missão de parar o Flamengo dentro do Maracanã. Aguilar está ciente da qualidade de Gabigol e Bruno Henrique, mas acredita que o rubro-negro tem outros jogadores perigosos em campo.

"Pessoalmente não conheço eles, mas assisto muitos jogos de futebol e principalmente do Flamengo. Vimos as partidas, sabemos que são rápidos. Um joga para o outro, Gabigol aproveita os desmarques do Bruno Henrique e vice-versa. Não são só eles, é um time muito completo, 20 e poucos jogadores de alto nível e será difícil. Precisamos neutralizá-los", disse.

Santos