Topo
Comprar ingresso
Comprar ingresso

Love pede mais concentração e vê rivais "agourando legal" o Corinthians

Atacante soma 11 gols na temporada e lidera ranking de artilheiros ao lado de Gustavo, de quem é titular atualmente - Gabriel Carneiro/UOL Esporte
Atacante soma 11 gols na temporada e lidera ranking de artilheiros ao lado de Gustavo, de quem é titular atualmente Imagem: Gabriel Carneiro/UOL Esporte

Gabriel Carneiro

Do UOL, em São Paulo

10/09/2019 15h14

O grupo de jogadores do Corinthians se reapresentou hoje ao CT Joaquim Grava, depois de dois dias de folga, ainda com a cabeça inchada depois de ceder o empate ao Ceará no último sábado, pela penúltima rodada do primeiro turno do Campeonato Brasileiro. A diferença para o Flamengo, líder da tabela de classificação, aumentou para sete pontos, mas não fez a equipe perder a fé na disputa pelo título, como diz o atacante Vagner Love.

"O Corinthians tem chance, acredito muito nisso. Um tempo atrás estávamos 15 pontos do líder e hoje são sete. O campeonato não terminou nem o primeiro turno, tem muito para acontecer. Acredito que [o Corinthians] esteja muito na briga pelo título", disse o atacante, que se fia na invencibilidade de 14 jogos pós-parada da Copa América como um dos argumentos em defesa do time.

"A rapaziada está agourando legal. Tomara que a gente continue invicto por muito tempo. Mas sabemos que uma hora vai acontecer uma derrota, temos que estar preparados. Mas fico feliz pela evolução. A equipe que vinha em formação, construção, mais de 15 jogadores trabalhando juntos pela primeira vez, primeira vez com o Fábio. Muitos jogos, viagens. Agora estamos nos encontrando, pegando uma maneira de jogar, os jogadores se conhecendo. Isso faz com que a gente esteja atento, tendo conhecimento, o dia a dia está sendo bem aproveitado", refletiu o artilheiro da temporada corintiana empatado com Gustavo, com 11 gols.

O Corinthians caiu para a quarta posição da tabela de classificação na última rodada, quando empatou em casa com o Ceará. Tem 32 pontos, um a menos que o Palmeiras, cinco de desvantagem em relação ao Santos e sete atrás do líder Flamengo. Paralelamente, se prepara para a disputa das semifinais da Copa Sul-Americana, em que enfrentará o Independiente del Valle, do Equador. Com tantos objetivos, Love faz uma cobrança ao elenco: concentração.

"A gente fica com o sentimento muito ruim [pelo empate contra o Ceará]. Tudo que eu falar não vai ser justificativa pelo que fizemos dentro do jogo. Não estou aqui pra dar desculpa. Erramos, nós jogadores temos que assumir essa responsabilidade. Fisicamente não digo que seja [a explicação]. Talvez pode ser um pouquinho mais de concentração. Se pegar o jogo contra o Atlético-MG o time correu, se comportou e foi premiado no fim. Não é parte física. Talvez essa parte de concentração, de estar mais ligado, mais atento, acreditar. Para que não aconteça o que aconteceu, de um escanteio, uma bola parada, coisas que dificilmente tomamos gol, e fica esse clima de tristeza, de derrota, que poderíamos talvez ter nos concentrado um pouco mais."

Vagner Love marcou o segundo gol contra o Ceará no empate em 2 a 2 do último sábado - Alan Morici/AGIF
Vagner Love marcou o segundo gol contra o Ceará no empate em 2 a 2 do último sábado
Imagem: Alan Morici/AGIF

VEJA OUTRAS RESPOSTAS DE LOVE EM COLETIVA HOJE:

Excesso de empates

"Empatar em casa nunca é bom, temos obrigação de vencer os jogos. Lógico que são difíceis, times que têm qualidade, mas temos que fazer os três pontos porque o fator casa ajuda. Fora de casa você consegue um empate com o Inter de Porto Alegre lá é resultado bom, porque é time grande que vai brigar por título. Temos que começar a analisar os erros que a gente vem cometendo para que consiga não empatar em casa, jogos que começamos bem, temos condições, Flamengo, Palmeiras, Ceará, tínhamos condições totais de vencer e podíamos estar em condição melhor. Não adianta chorar o leite derramado, lamentar. É trabalhar para fazer diferente nos próximos jogos."

Jogo contra o Fluminense em Brasília

"Esse negócio de jogar em outro campo para mim é relativo, qualquer lugar vai ter pressão, todos vão correr contra o Corinthians, jogam de uma maneira contra outros e contra nós é diferente. Acredito que o Fluminense vai querer impor seu ritmo, está em situação difícil, mas talvez não tenha tanto apoio da torcida. Vai ser praticamente campo neutro, as duas equipes vão em busca do resultado. Talvez a gente tire proveito? Talvez. Mas é incerto."

Qual é a maneira de jogar do Corinthians

"É um Corinthians que tenta ficar com a bola, principalmente nos jogos em casa, quando tentamos controlar bem a bola. Não estamos fazendo as coisas de qualquer maneira. Se você for pegar os nossos números, o time tem melhorado muito. Esse é o Corinthians que vem se montado e quando chegar em uma reta final de campeonato, o Corinthians estará preparado para disputar o Campeonato Brasileiro."

Flamengo na liderança

"Eu tenho assistido poucos jogos, não sou muito de assistir, como não estou acompanhando tanto não posso concordar [que é o melhor futebol do país]. Mas é uma equipe que tem qualidade, jogamos contra o Flamengo, fizemos jogos da Copa do Brasil, dois bons jogos, tem jogadores de qualidade e mostra a força que tem. Não temos que nos preocupar com os outros, mas nosso trabalho e o que vamos desempenhar."

Campeonato da ofensividade x defensividade

"Não vejo como desvantagem [ser defensivo]. Temos uma forma de jogar. Talvez não sejamos o time mais agressivo, que vai chegar toda hora e dar 30 chutes, mas quando chegarmos será para concluir bem. Os poucos jogos que vi esses times sofreram alguns gols, o Santos tem jogo que tomou quatro, cinco, são coisas que não acontecem com o Corinthians, porque temos uma maneira de jogar e se defender. Estamos criando identidade e espero que dê certo."

Dois jogos decisivos em sequência

"Temos que nos preparar, pensar assim: Fluminense primeiro, temos chances de pontuar e continuar na briga pelas primeiras colocações. E depois um jogo importante, de semifinal da Sul-Americana, jogando em casa. Eu não sei nada ainda [sobre o Independiente del Valle]. Na semana do jogo vamos ter informações da comissão. Se preparar melhor para o que vamos encontrar. Mas são duas semanas para estar focado e trabalhar pensando no que queremos na reta final de temporada."

Disputa por dois títulos no ano

"A gente não está aqui para passear, de brincadeira, pelada com os amigos. Estamos trabalhando para conquistar os objetivos em dois campeonatos importantes. Sul-Americana é um título inédito que entraria para a história, isso que eu falo internamente aos jogadores. E o Brasileiro é um dos mais difíceis do mundo. E o Corinthians está brigando, quando entra tem que brigar. Se tiver torneio de ping pong, bolinha de gude, tem que brigar, entendeu?"

Pedrinho

"O Pedrinho vem uma crescente muito boa. Ele vê que está bem e tem nos ajudado muito. É um jogador que tem muita qualidade e pode fazer esses dois tipos de funções tranquilamente. O Fábio pode optar por ele em um momento da partida jogando como um camisa 10."

Janderson

"É um jovem que vem amadurecendo no dia a dia, treina bastante com a gente, às vezes desce para jogar no sub-20 pra ter ritmo, talvez essa transição seja boa para ele. Menino que tem qualidade, muito respeito ao que passamos a ele, escuta bastante. Vai ter o momento certo para ele entrar e logo assumir titularidade do profissional do Corinthians."

Concorrência no ataque

"Procurei aproveitar a oportunidade da melhor forma. Gustavo teve lesão que o deixou fora por algum tempo, Mauro [Boselli] teve sequência boa, mas agora a lesão. E eu estou ali, resistindo. Mas são três jogadores de muitíssima qualidade, a gente vem dando conta do recado quando tem jogadores de alto nível. Vou torcer para quando eu não estiver façamos gol e que possamos dar alegria."