Topo

CBF autoriza Grêmio a ouvir áudio do VAR na sede da entidade

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

10/09/2019 12h00

A comissão de arbitragem da Confederação Brasileira de Futebol respondeu ao pedido do Grêmio e deu autorização para que o clube escute o áudio da cabine do árbitro de vídeo da partida com o Athletico Paranaense, válida pela volta da semifinal da Copa do Brasil. O contato do Tricolor foi foi revelado pela coluna De Primeira, e a posição da entidade chegou hoje (10) aos dirigentes gremistas.

O detalhe é que o áudio não será enviado ao Grêmio, mas disponibilizado na sede da CBF. Ou seja, representantes do clube terão de ir ao Rio de Janeiro por acesso ao diálogo entre a arbitragem e o VAR. A ideia do Tricolor é viajar ainda nesta semana.

A reclamação do Grêmio é sobre lance no início do jogo em Curitiba, e a bola toca na mão de Wellington dentro da área após cabeçada de Geromel. O árbitro Wagner Magalhães não marcou nada.

"Sou totalmente a favor do VAR. Mas o que tem que mudar no futebol brasileiro são as regras do VAR. Pelo que vi ali, o jogador do Athletico está com o braço aberto. Só que vai analisar e todo mundo fala uma coisa. Pelo menos na minha concepção, o jogador está pedindo ajuda para o braço. O juiz para, vai no VAR e não dá o pênalti. Vou brigar, criticar o árbitro? Não vou. Só que daqui a pouco acontece de novo um lance desse, e nós vamos nos perguntar de novo", disse Renato Gaúcho, depois do jogo que culminou com a eliminação gremista nos pênaltis.

Além de pedir acesso à gravação da cabine do árbitro de vídeo, o Grêmio fez protesto formal em relação ao jogo contra o Cruzeiro, no último domingo (8). No lance envolvendo o gremista Alisson e zagueiro Léo, na área do Cruzeiro, a bola tocou no braço do defensor do time mineiro, mas o árbitro Rafael Traci não assinalou pênalti e mandou o jogo seguir. A partida terminou com goleada por 4 a 1 do Tricolor, pelo Brasileirão.