Topo

Cuca vê São Paulo sem confiança em meio a desfalques: "Lógico que pesam"

Do UOL, em São Paulo

07/09/2019 21h42

A derrota para o Internacional por 1 a 0, na noite de hoje, impôs o terceiro tropeço seguido ao São Paulo no Brasileirão. O time chegou a viver arrancada para se aproximar dos líderes, mas agora se vê novamente mais distante da briga pelo título, o que se deve aos muitos desfalques e à falta de confiança, segundo o técnico Cuca.

"O time sentiu a confiança diminuir no próprio jogo. Ela estava no começo do jogo, mas foi saindo à medida que teve algum erro, porque não é um time pronto. O São Paulo é um time se aprontando dentro da competição", afirmou o treinador durante sua entrevista coletiva no Estádio Beira-Rio, admitindo que o Tricolor se desencontrou ao longo do jogo.

"Não deu sequência [aos primeiros bons minutos] e não dá para entender o porquê. Mesmo estando em inferioridade [no placar], tem que começar o jogo trabalhando, não adianta quebrar, dar bola longa, porque não é esse o perfil do time. Nós nos perdemos aí, e o Inter melhorou e mereceu vencer pelo segundo tempo", explicou Cuca, elogiando o início de jogo do São Paulo mas criticando a mudança de postura a partir de então.

O Tricolor foi a Porto Alegre com oito desfalques, incluindo Daniel Alves, Hernanes, Alexandre Pato e Pablo. As baixas fizeram falta na partida, porque faltou criatividade para o São Paulo incomodar mais o Internacional. "Pesa, é lógico que pesa. São todos jogadores considerados titulares, importantes e experientes. Mas não quero atribuir a derrota à ausência deles; não posso fazer isso com quem jogou e tentou de todas as formas, ainda que a gente não tenha jogado bem no segundo tempo", pondera Cuca.

Há expectativa que alguns dos desfalques voltem a estar à disposição no domingo que vem (15), para o jogo contra o CSA no Morumbi, mas o treinador já adianta que a evolução dos lesionados não acontece exatamente assim.

"Perdemos todos ao mesmo tempo por fatalidade. Agora todos voltam quase ao mesmo tempo, mas não quer dizer que temos todos à disposição para jogar, eles estão em transição. Vendo quanto tempo eles não jogam uma partida, a batida é outra. Então temos que ter calma e sabedoria para escolher as peças certas", afirma o técnico são-paulino, que deve abrir a semana de trabalho no CT da Barra Funda na segunda-feira (9).