Topo

Seleção Brasileira


Como seleção pode ajudar Vinícius Jr. no Real após procura de PSG e Arsenal

Vinícius Júnior, do Real Madrid, durante treino da seleção brasileira nos CT do Miami Dolphins - Lucas Figueiredo/CBF
Vinícius Júnior, do Real Madrid, durante treino da seleção brasileira nos CT do Miami Dolphins Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Bruno Grossi e João Henrique Marques

Do UOL, em Miami (EUA) e Paris (FRA)

04/09/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Vinícius Júnior foi convocado pela segunda vez para a seleção brasileira
  • Na primeira, o atacante acabou cortado por uma lesão, nos amistosos disputados em março
  • A grande fase pelo Real Madrid vivida até ali ainda não foi retomada pelo brasileiro
  • Nova função proposta por Zidane traz dificuldades, mas a diretoria do clube o banca
  • O presidente Florentino Pérez chegou a falar com Vinícius para tranquilizá-lo
  • Dois clubes europeus tentaram a contratação de Vini, mas não conseguiram avançar

A convocação para a seleção brasileira veio em boa hora para Vinícius Júnior. O jovem de apenas 19 anos vive o momento mais delicado desde que chegou ao Real Madrid e tem a chance de usar a experiência que ganhará nos amistosos contra Colômbia e Peru nos Estados Unidos como ponto de virada em sua situação na Espanha.

Essa instabilidade no Real tem a ver com os novos planos de Zinedine Zidane. O técnico tem apostado no brasileiro como atacante pelo lado direito, função em que o garoto ainda não se habituou. Junto dessa dificuldade veio o temor de perder espaço.

"Na seleção e em todos os clubes, os destros gostam de jogar na esquerda, como Hazard no Real. E aqui também com o Neymar. Cada um com característica diferente e o treinador define. No início é sempre muito complicado mudar, mas estou me adaptando bem. Treinando e pedindo para o Zidane me colocar ali mesmo, porque aí aumenta a minha chance de jogar. Onde for, na esquerda ou direita. Ter a facilidade de jogar nas duas me ajuda no Real e na seleção", analisou o atacante, ontem, em entrevista coletiva.

A diretoria do Real tem ciência sobre o momento de Vinícius e entende que é momento de respaldá-lo. O próprio presidente Florentino Pérez chegou a falar com o atacante para passar confiança. O clube sabe que fases de oscilação vão acontecer, mas aposta que o jovem tem potencial para logo se firmar.

O discurso é coerente com as ações dos dirigentes do Real nos últimos tempos. Durante a janela de transferências internacionais, dois clubes procuraram Vinícius Júnior e tiveram o interesse barrado imediatamente pelos espanhóis: o Paris Saint-Germain, por meio de Leonardo, e o Arsenal, via Edu Gaspar.

O Real Madrid disse a Vinícius Júnior que quer desenvolvê-lo de perto e isso animou a revelação flamenguista, que chega empolgada para a nova chance com a seleção. Em março, sofreu uma lesão, acabou cortado dos amistosos contra Panamá e República Tcheca e interrompeu o melhor momento no Real.

Agora, tudo pode ser diferente. No primeiro dia de compromissos com a seleção, Vinicius chegou ao hotel em Miami em cima da hora do treino e correu ao lado de Militão e Casemiro, companheiros de Real, para chegar ao CT do Miami Dolphins, onde o Brasil treinava. Rapidamente vestiu o uniforme e integrou trabalho com bola, mostrando estar à vontade para arriscar dribles, passes difíceis e chutes.

Mais Seleção Brasileira