Topo

Caso Daniel


Audiência do caso Daniel recomeça com expectativa sobre fala de Brittes

Edison Brittes Júnior na audiência de instrução do caso Daniel  - FRANKLIN FREITAS/ESTADÃO CONTEÚDO
Edison Brittes Júnior na audiência de instrução do caso Daniel Imagem: FRANKLIN FREITAS/ESTADÃO CONTEÚDO

Karla Torralba

Do UOL, em São Paulo

04/09/2019 00h01

Mais uma fase de audiência de instrução sobre o assassinato de Daniel Correa começa a partir de hoje (04) com a expectativa sobre os interrogatórios dos réus, principalmente de Edison Brittes Júnior, que confessou ter matado o jogador em outubro de 2018.

Os sete réus por envolvimento em diferentes níveis na morte de Daniel falarão à juíza Luciani Regina Martins de Paula a partir de hoje às 8h, no Fórum de São José dos Pinhais (Paraná).

A ordem dos interrogatórios ainda será confirmada pela magistrada. Inicialmente se seguiria a lista de acordo com a denúncia do Ministério Público com Edison Brittes Júnior, Ygor King, David Vollero, Eduardo Henrique da Silva, Cristiana Brittes, Allana Brittes e Evellyn Perusso. No entanto, há possibilidade de Edison Brittes Júnior, Cristiana e Allana serem ouvidos por último caso a juíza aceite o pedido da defesa da família.

Antes do início dos interrogatórios, está previsto para que seja ouvido o último depoimento de testemunhas arroladas pela defesa. Trata-se do apresentador da Rede Massa, afiliada do SBT no Paraná, João Gimenes. O advogado de defesa de Edison Brittes, Cláudio Dalledone Júnior, afirma que o profissional colocou as mãos no celular de Cristiana Brittes antes do aparelho ser entregue para a polícia durante a fase de inquérito policial.

O depoimento de Gimenes foi o motivo do adiamento dos interrogatórios no último dia 13 de agosto. O apresentador não pode comparecer ao Fórum na ocasião. Até agora há dúvidas se Gimenes falará por uma questão médica, que o afastou do trabalho no último mês.

Será a primeira vez que os réus falarão à Justiça sobre o assassinato de Daniel em 27 de outubro de 2018. Edison Brittes Júnior confessou ter degolado e emasculado o jogador após espancamento na casa dos Brittes. Há questões não respondidas por Brittes em seu interrogatório à polícia como sobre a arma do crime e sobre a ação de matar o jogador.

Quatro réus permanecem presos. Allana Brittes foi solta após a Justiça conceder habeas corpus em agosto. Edison Brittes Júnior, David Vollero, Ygor King e Eduardo Henrique da Silva são réus por homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver e fraude processual; Cristiana Brittes é ré por homicídio qualificado, fraude processual e coação de testemunha; Allana Brittes responde por coação de testemunha e fraude processual; Evellyn Perusso é ré por denunciação caluniosa e fraude processual.

Caso Daniel