Topo

Em fim de contrato, Fluminense negocia por novo fornecedor de material

Messi pega camisa personalizada do Fluminense: Tricolor busca novo fornecedor de material - @FluminenseFC/Twitter
Messi pega camisa personalizada do Fluminense: Tricolor busca novo fornecedor de material Imagem: @FluminenseFC/Twitter

Caio Blois

Do UOL, no Rio de Janeiro

01/09/2019 04h00

Com o contrato com a Under Armour se aproximando do fim, o Fluminense conversa com diversas marcas para ter um novo fornecedor de material esportivo a partir de 2020. Após as últimas duas apostas não trazerem o retorno esperado às Laranjeiras, o departamento de marketing do Tricolor busca um parceiro mais estável, consolidado no mercado nacional e que tenha capacidade de atender ao clube e às demandas de sua torcida.

Ainda não há acordo com nenhuma marca, ainda que algumas empresas sejam favoritas para fechar negócio com o Tricolor. Com grande torcida espalhada pelo país e de perfil comprador, o Flu bateu diversos recordes de vendas de camisas à época da parceria com a Adidas, que durou 19 anos.

O contrato com a atual parceira vai até 21 de julho de 2020, data de aniversário de 118 anos do clube. Por isso, a Umbro, reconhecida como a melhor do país em distribuição de materiais, virou favorita no negócio, conforme informado pelo Netflu e confirmado pelo UOL Esporte.

A ideia da diretoria era prospectar uma gigante do mercado para o fornecimento de material esportivo. A Nike chegou a manter conversas com o Tricolor, que esbarraram mais uma vez na má impressão deixada pelo ex-presidente Peter Siemsen, que "usou" a marca americana para barganhar melhor acordo, na época, com a Adidas. A antiga parceira tem contrato de exclusividade com o Flamengo no Rio de Janeiro, o que impediu qualquer negociação, assim como a Puma, que mantém vínculo ainda mais extenso com o Palmeiras, exclusivo no país.

Dentro das novas diretrizes para as negociações, o Flu foi procurado por muitas empresas do mercado. Ainda durante o processo eleitoral do clube, em junho, a italiana Macron, que deseja entrar no Brasil, contatou representantes das chapas com um projeto. Por receio de apostar em mais uma marca nova, o Tricolor recuou. Até a vinda do goleiro Buffon, à época sem contrato com nenhum time, chegou a ser citado pelos italianos nas conversas, que não avançaram.

Outra marca do mesmo país, a Kappa, que fechou recentemente acordo com o Botafogo, também procurou a diretoria. O namoro é antigo: a fornecedora já havia sondado os tricolores à época do acordo com a Under Armour. Pesa contra a questão da operação, que ficaria aos cuidados do clube.

O Fluminense, entretanto, segue buscando o melhor acordo possível com uma nova parceira que possua capacidade comercial de atender o clube, algo que não ocorre desde a saída da alemã Adidas em 2015.

Fluminense