Topo

Futebol


Nico encerra jejum, Inter bate o Botafogo e se recupera após eliminação

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

31/08/2019 22h56

Nico López rompeu um jejum de 24 jogos. Foram 1.843 minutos de bola rolando sem marcar até a noite de hoje (31), quando o uruguaio fechou a vitória do Inter por 3 a 2 sobre o Botafogo, no Beira-Rio, pela 17ª rodada do Brasileiro. Edenilson e Rodrigo Lindoso marcaram os outros gols do Colorado. Diego Souza e Marcinho fizeram para o do time visitante.

O resultado recuperou o time gaúcho da eliminação na Libertadores, na última quarta. O placar levou a equipe ao sétimo lugar com 27 pontos. Já os cariocas somam 23, ficam em 10º, mas podem perder esta posição até o fim da rodada.

O próximo compromisso da equipe de Porto Alegre será em casa, pela Copa do Brasil. Na quarta-feira, o time de Odair Hellmann defende vantagem contra o Cruzeiro na disputa de uma vaga na final. O Botafogo só joga no próximo domingo, contra o Atlético-MG, pelo Brasileiro.

Nico López rompe jejum e dá assistência

Nico López já tinha sido fundamental no gol de Edenilson, quando puxou um contra-ataque e serviu o companheiro. E, aos 37 minutos do segundo tempo, encerrou um jejum de 1.843 minutos colocando na rede o terceiro gol vermelho. Foram 24 jogos sem marcar até o jogo de hoje. Quando foi substituído, saiu muito aplaudido pelos presentes.

Foi bem: Rodrigo Lindoso marca e Botafogo reclama

Pouco antes do apito final do primeiro tempo, o destaque do jogo até então abriu o marcador. De cabeça, após cobrança de escanteio, Rodrigo Lindoso marcou. Mas o gol foi motivo de polêmica. Os jogadores do Botafogo reclamaram de uma falta que teria ocorrido antes da conclusão. O árbitro não marcou, e o feito premiou uma boa atuação do volante contra seu ex-clube.

Foi mal: Sobis é substituído

Rafael Sobis não conseguiu construir ou concluir jogadas efetivamente. Depois de uma jornada aquém do esperado, foi substituído no segundo tempo.

Lei do ex anulada pelo VAR

Aos 10 minutos do segundo tempo, Alex Santana descontaria para o Botafogo. Ex-Inter e envolvido na troca com Rodrigo Lindoso no início deste ano, o jogador seria o segundo a viver a "lei do ex" na partida, pois Lindoso tinha feito o primeiro do jogo. Mas, após revisão do lance, o árbitro Dewson Freitas consultou o VAR e invalidou a jogada assinalando toque de mão no início do lance.

Inter surpreende com titulares e nova postura

O Internacional surpreendeu. Começou antes do jogo, com a utilização de nove titulares desde o início. Odair Hellmann não quis saber de preservação de olho na semifinal da Copa do Brasil. E continuou com a bola rolando em uma postura ofensiva, com marcação alta, e os dois jogadores de lado aproximados a Paolo Guerrero. Rafael Sobis e Nico López, alternadamente, encostaram no peruano para tramar jogadas. Houve posse, houve controle, mas foram poucas as chances reais no início. Aos poucos, viu cair a intensidade de criação e passou a ter menos domínio do jogo. E quando já não era tão firme na partida, abriu o marcador. No segundo tempo até marcou o segundo e o terceiro, mas foi ameaçado até o fim.

Botafogo tem vocação ofensiva, mas joga preso

O Botafogo tinha vocação ofensiva em sua formação. Além de dois laterais que chegam ao campo de ataque com velocidade, a equipe do Rio de Janeiro tinha no centro de campo três jogadores originalmente meias. Ainda que tenham recuado ao longo da carreira, Alex Santana, João Paulo e Cícero atuaram como armadores em momentos da trajetória profissional. Mas a capacidade de construir jogadas não simbolizou ofensividade. Em vários momentos do jogo, Eduardo Barroca posicionou seus jogadores, todos, da intermediária para trás e tratou de bloquear os caminhos que o Inter pudesse achar. E no contra-ataque teve ao menos duas oportunidades. Uma delas com chute na trave de Luiz Fernando. Na etapa final, Barroca colocou o time para frente, deu espaço, mas criou mais. Teve um gol anulado, fez outros dois, e pressionou bastante.

Poucos hoje, muitos quarta

O público do Beira-Rio contrastou com a última e a expectativa da próxima quarta. Depois de quebrar seu recorde de presenças após a reforma para Copa do Mundo de 2014 com mais de 49 mil presentes no jogo da Libertadores contra o Flamengo, o estádio do Inter recebeu menos de 10 mil hoje. Mas para a próxima quarta-feira, em jogo de volta da semifinal da Copa do Brasil, a expectativa novamente é de grande público e todo os ingressos foram comercializados de forma antecipada.

FICHA TÉCNICA
INTERNACIONAL 3 X 2 BOTAFOGO
Data
: 31/08/2019 (Sábado)
Local: estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Árbitro: Dewson Freitas da Silva
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho e Helcio Araújo Neves
Árbitro de vídeo: José Cláudio Rocha Filho
Renda: R$ 350.184,00
Público: 9.962 (7.896 pagantes)
Cartões amarelos: Wellington Silva, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Nico López (INT); Alex Santana, Diego Souza, Cícero, Lucas Campos (BOT)
Gols: Rodrigo Lindoso, do Inter, aos 44 minutos do primeiro tempo. Edenilson, do Inter, aos 7 minutos do segundo tempo; Diego Souza, do Botafogo, aos 16 minutos do segundo tempo; Nico López, do Inter, aos 37 minutos do segundo tempo; Marcinho, do Botafogo, aos 50 minutos do segundo tempo.

INTERNACIONAL
Marcelo Lomba; Zeca, Moledo, Cuesta e Uendel; Rodrigo Lindoso, Edenilson (Nonato), Patrick, Rafael Sobis (Wellington Silva) e Nico López (D'Alessandro); Paolo Guerrero.
Técnico: Odair Hellmann

BOTAFOGO
Gatito Fernández (Diego Cavalieri); Marcinho, Carli, Gabriel e Gilson; Cícero, Alex Santana, João Paulo (Vinícius), Luiz Fernando e Lucas Campos (Fernando); Diego Souza.
Técnico: Eduardo Barroca

Mais Futebol