Topo

Flu já sabe que não alcançará nesta janela valor que Fla ofereceu por Pedro

Pedro comemora gol pelo Flu: jogador não recebeu propostas altas da Europa - LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.
Pedro comemora gol pelo Flu: jogador não recebeu propostas altas da Europa Imagem: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.

Caio Blois

Do UOL, no Rio de Janeiro

31/08/2019 04h00

A janela de transferências para a Europa se encerra apenas na segunda-feira, dia 2 de setembro. Mas o Fluminense já tem uma certeza: não receberá nenhuma proposta por Pedro nos valores antes oferecidos pelo rival Flamengo. Internamente, entretanto, a atitude tomada à época segue vista como positiva, assim como o esforço para embolsar em uma eventual negociação pelo jovem de 22 anos um valor considerado justo pelo clube.

Ao assumir o Flu em junho, Mario Bittencourt sabia das dificuldades vividas em Laranjeiras, principalmente na parte financeira. Com os cofres combalidos e sufocado por penhoras que aumentam a cada semana, a situação no Tricolor é ruim. Mas já foi pior.

Em 82 dias como presidente do Fluminense, o mandatário já conseguiu quitar três meses de salários, até então em maior atraso. Agora, corre contra o tempo para pagar mais uma folha salarial e deixar o clube em dia ao menos até o quinto dia útil de setembro, quando mais uma obrigação mensal bate à porta.

Em 2018, antes de sofrer lesão no joelho, Pedro tinha acordo encaminhado com o Real Madrid por 18 milhões de euros, cerca de R$ 80 milhões à época. Hoje, entretanto, esse valor virou algo inalcançável. Com sondagens de Monaco, Bordeaux e Fiorentina, conforme publicado pelo Globoesporte.com e confirmado pelo UOL Esporte, o centroavante pode até ser negociado, mas para isso, o Tricolor terá que ajustar sua pedida à nova realidade, que coloca o patamar do jogador um pouco mais abaixo.

Interessado em Pedro, o rival Flamengo acenou com uma proposta de 10 milhões de euros (R$ 43,8 milhões à época) por 70% dos direitos econômicos do jogador, aceitando subir para 12 milhões de euros (R$ 52 milhões) por 50%. O Fluminense já sabe que, exceto por situação totalmente inusitada, não receberá uma oferta nestes valores vinda dos times médios da Europa que buscam informações sobre o centroavante.

Tanto o clube como os agentes de Pedro entendem que os valores não atendem ao que acreditam para o jogador. A visão é de que o mercado da bola, no geral, tem praticado preços mais baixos, e os clubes europeus estão gastando menos na compra de atletas, especialmente nesta janela de transferências, onde jogadores veem negócios "travados" - como Neymar no PSG, Icardi na Juventus, Timo Werner no Red Bull Leipzig, Everton Cebolinha no Grêmio e até Bruno Guimarães no Athletico.