Topo

Brasileirão - 2019


Santos vence com gol contra e retoma liderança provisória do Brasileirão

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

31/08/2019 20h59

O Santos venceu a Chapecoense nesta noite por 1 a 0, na Arena Condá, em Chapecó-SC, em jogo válido pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro. O gol que definiu o resultado foi marcado pelo zagueiro Gum, contra.

Com a vitória, o Peixe chegou a 36 pontos voltou a ser líder isolado do Brasileirão de forma provisória. A equipe da Vila Belmiro aguarda o duelo entre Flamengo e Palmeiras para saber se mantém a posição. Já a Chapecoense segue na luta para sair da zona do rebaixamento.

O próximo desafio do Santos é diante do Athletico-PR no próximo domingo, dia 8, na Vila Belmiro, às 16h. Já a Chapecoense visita o CSA, no estádio Rei Pelé, em confronto direto na luta contra a degola, também no domingo, às 19h.

Cronologia do jogo

Depois de um primeiro morno, muito estudado e sem grandes chances, o Santos abriu o placar com um gol contra do zagueiro Gum aos 38 minutos do primeiro após cruzamento de Soteldo. Na segunda etapa, os dois times pouco criaram e o resultado foi mantido.

Quem foi bem: Lucas Veríssimo

O zagueiro atuou ora em sua posição de origem e ora como lateral-direito liberando Victor Ferraz para ser praticamente um meia e foi bem. O defensor vinha tendo problemas para atuar como lateral, mas melhorou dividindo o setor com Ferraz. Foi bem defensivamente, principalmente nas bolas aéreas, e foi em uma de suas subidas ao ataque, quando apareceu dentro da área, que o Santos conseguiu a superioridade numérica tão buscada por Sampaoli e conseguiu o gol, ainda que contra do zagueiro Gum.

Quem foi mal: Derlis González

O paraguaio mal apareceu no jogo e foi substituído na segunda etapa. O Peixe teve dificuldades de criação durante todo o jogo, mas teve bons momentos pela direita com Victor Ferraz e Evandro se aproximando. As jogadas só não foram melhores porque Derlis não conseguiu formar o trio pelo setor. O paraguaio dá mais consistência na recomposição, mas ainda não reencontrou a forma ofensiva do início do ano.

Atuação do Santos: Peixe não consegue implementar "Sampaolismo"

O Santos não conseguiu imprimir seu estilo de jogo no primeiro tempo e teve menos posse de bola do que de costume, finalizando também menos vezes. Na melhor jogada da primeira etapa, quando Veríssimo apareceu na área, Soteldo cruzou e Gum marcou contra. O Peixe seguiu com dificuldades no segundo tempo, mesmo após as alterações de Sampaoli. Até conseguiu criar chances no contra-ataque já no final do jogo, mas não matou a partida. A atuação do Peixe não esteve no mesmo nível apresentado durante toda a temporada.

Atuação da Chape: Equipe segura Santos, mas falha em criar chances

A Chapecoense entrou com três zagueiros e uma proposta de segurar o ímpeto santista que funcionou. A equipe de Chapecó encontrou caminho pelo lado esquerdo da defesa santista, mas não foi eficiente para criar oportunidades reais de gol. Precisando do resultado no segundo tempo, o time catarinense foi mais ao ataque e teve intensidade, mas pecou na criação e não conseguiu levar perigo ao goleiro Everson.

Mantido no time após falhas, Aguilar não complica

Muito pressionado pelos recentes erros contra São Paulo e Fortaleza, o colombiano Felipe Aguilar teve uma atuação segura atrás. Ele não foi tão exigido, mas não comprometeu e passou ileso pela partida. Sempre no radar da seleção colombiana, o defensor é bem visto internamente e a missão é apoiar o zagueiro para que ele possa recuperar o bom futebol que já apresentou durante a temporada.

FICHA TÉCNICA
Chapecoense 0 x 1 Santos

Data: 31 de agosto de 2019 (sábado)
Horário: 19h (de Brasília)
Local: Arena Condá, em Chapecó-SC
Árbitro: Bruno Arleu de Araújo (RJ)
Assistentes: Thiago Henrique Neto Correa Farinha (RJ) e Daniel do Espírito Santo Parro (RJ)
VAR: Carlos Eduardo Nunes Braga (RJ)

Gols: Gum (contra) aos 38 do primeiro tempo.
Amarelos: Arthur Gomes e Eduardo, da Chapecoense; Diego Pituca, Everson, Victor Ferraz e Soteldo, do Santos.

Chapecoense: Tiepo; Gum (Diego Torres), Rafael Pereira (Henrique Almeida) e Maurício Ramos; Eduardo, Márcio Araújo, Campanharo, Camilo (Aylon) e Bruno Pacheco; Arthur Gomes e Everaldo. Técnico: Emerson Cris

Santos: Everson; Gustavo Henrique, Lucas Veríssimo e Felipe Aguilar; Victor Ferraz, Evandro (Jean Mota), Diego Pituca e Felipe Jonatan (Alison); Derlis González (Sánchez), Soteldo e Eduardo Sasha. Técnico: Jorge Sampaoli.