PUBLICIDADE
Topo

Thiago Heleno e Camacho pegam 6 meses de suspensão em julgamento por doping

Thiago Heleno comemora gol do Atlético-PR contra Palmeiras - Marcello Zambrana/AGIF
Thiago Heleno comemora gol do Atlético-PR contra Palmeiras Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL

30/08/2019 19h21

O zagueiro Thiago Heleno e o volante Camacho, do Athletico-PR, foram punidos com seis meses de suspensão em julgamento pelo caso de doping realizado na cidade de Luque (Paraguai), sede da Conmebol. Eles foram suspensos pela ingestão de Higenamina, uma substância usada em suplementos e proibida pela Wada (Agência Mundial Antidoping) desde 2017.

Como os dois já vinham cumprindo suspensão e estavam proibidos de atuar em partidas oficiais, a pena já está perto de chegar ao fim. Thiago Heleno está liberado para voltar aos gramados no dia 1º de outubro. Já Camacho poderá retornar aos campos no dia 23 de outubro. Os dois já estão liberados para treinar com os companheiros.

O zagueiro não entra em campo desde 1º de maio, em jogo da segunda rodada do Campeonato Brasileiro, contra o Fortaleza, enquanto o volante fez seu último jogo com a camisa rubro-negra no dia 28 de abril, contra o Vasco, pela estreia do time na competição nacional.

A punição máxima para os jogadores era de dois anos. Thiago Heleno e Camacho foram flagrados no antidoping em 9 de abril, no jogo contra o Tolima (COL), pela Libertadores. Camacho também foi flagrado no Campeonato Brasileiro, diante do Vasco, mas o período compreendia a mesma janela de contaminação.

Os jogadores consumiram a substância Higenamina, um estimulante usado em suplementos, após instrução do então nutricionista do clube, Felipe Hostim, que mandou manipular um suplemento alimentar a partir da base de um produto norte-americano.

Hostim e outros cinco profissionais, incluindo o médico Luiz Gustavo Emed, filho do presidente Luiz Sallim Emed, foram demitidos em junho.

Athletico