Topo

Libertadores - 2019


Grêmio busca virada em quatro minutos e elimina Palmeiras da Libertadores

Everton Cebolinha foi decisivo para a classificação do Grêmio no Pacaembu - Marcello Zambrana/Agif
Everton Cebolinha foi decisivo para a classificação do Grêmio no Pacaembu Imagem: Marcello Zambrana/Agif

Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

27/08/2019 23h27

O Grêmio segue aumentando sua fama de "copeiro" sob o comando de Renato Gaúcho. Em uma virada impressionante - mesmo fora de casa e tendo perdido o primeiro jogo em Porto Alegre -, o Tricolor bateu o Palmeiras por 2 a 1, calou o Pacaembu e garantiu vaga nas semifinais da Copa Libertadores da América.

O Verdão abriu o placar cedo, aos 15 minutos, para delírio da torcida que compareceu em peso ao estádio paulistano, com Luiz Adriano, mas depois de seis minutos os gremistas já haviam conseguido uma virada espetacular. Num intervalo e quatro minutos, vieram gols de Everton Cebolinha e Alisson - os dois participaram dos dois lances, um servindo o outro, aos 17 e aos 21 minutos.

As semifinais da Libertadores ocorrerão em outubro - o duelo de ida na semana de 2 de outubro, com a volta na semana do dia 23. O adversário será conhecido amanhã no embate entre Internacional e Flamengo, no Beira-Rio, em Porto Alegre. O Rubro-Negro venceu o jogo de ida por 2 a 0, no Maracanã.

Marcello Zambrana/AGIF
Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Quem foi bem: Alisson e Everton Cebolinha

A dupla de velocistas do Grêmio foi determinante para a reação que parecia improvável. Alisson deu a assistência para Cebolinha, que criou a jogada do gol de Alisson. As escapadas dos dois também foram fundamentais para que o Grêmio não ficasse sufocado demais no segundo tempo. Os dois marcavam bem pelas pontas e ainda geravam perigo nos contra-ataques.

Quem foi mal: Felipão e Deyverson

O treinador sacou Willian, que fazia bom jogo, e voltou para o segundo tempo com Deyverson. O centroavante foi quase nulo e levou a reboque a cartada do técnico - que não viu no campo o plano se confirmar. A torcida escolheu o atacante como grande vilão da eliminação. No Grêmio, Paulo Victor falhou no gol do Palmeiras, saiu errado duas vezes e deu enorme susto antes do intervalo.

Willian perde chances incríveis

Na pressão palmeirense no primeiro tempo, após levar a virada do Grêmio, Willian teve duas chances cristalinas, mas desperdiçou. Primeiro, em rebote de escanteio, o "Bigode" pegou de primeira e acertou em cheio a trave, com Paulo Victor já batido. Depois, após boa trama pela direita, Willian apareceu para concluir cruzamento rasteiro e bateu no contrapé de Paulo Victor, mas errou o alvo por centímetros. O atacante ficou no chão lamentando, para desespero da torcida no Pacaembu e acabou sacado no intervalo para dar lugar a Deyverson.

O jogo do Palmeiras: bola parada e pressão

Ao contrário do que se esperava, o Palmeiras não começou o jogo tentando abafar o Grêmio. Mesmo empurrado pela torcida, se postou atrás e foi envolvido nos primeiros minutos. Ainda assim, saiu na frente na bola parada: após cobrança de escanteio, a bola sobrou com Luiz Adriano, que teve calma para mandar para as redes. A postura alviverde só mudou depois de levar a virada. Atrás no placar, o time enfim foi para cima e passou a pressionar o Grêmio, sobretudo pelo lado direito, com tabelas de Dudu, Scarpa e Marcos Rocha. Mas faltou pontaria...

Marcello Zambrana/AGIF
Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

O jogo do Grêmio: Precisão e força

Esqueça a história de um jogo ofensivo e de imposição. O Grêmio, talvez pela contingência, talvez por estratégia, passou longe de fazer uma partida baseada na pressão. O time gaúcho trocou o volume pela precisão e virou o placar em quatro minutos. O ataque foi cirúrgico ao converter na primeira chance que teve e marcar 2 a 1 logo depois.

Com o resultado, o Grêmio recolheu linhas. Bloqueou a frente da área e trocou Maicon por Rômulo justamente de olho na imposição física. No segundo tempo, André deu lugar a Pepê e cristalizou a mudança total de postura. O time gremista abriu mão de seu modelo para sustentar a vantagem e passou a jogar à espera dos contra-ataques. Depois, Tardelli entrou na vaga de Alisson e reforçou a ideia.

Cronologia do jogo

Os torcedores que lotaram o Pacaembu presenciaram um confronto de alto nível e surpreendente, sobretudo no primeiro tempo. Afinal, em 21 minutos o jogo já estava 2 a 1 para o Grêmio, sendo que o Palmeiras abriu o placar e tinha o melhor desempenho. Luiz Adriano foi o responsável por balançar as redes pela primeira vez, aos 15 minutos, aproveitando falha do goleiro Paulo Victor.

Parecia que o Verdão ficaria à vontade, controlando a partida e a boa vantagem. Mas rapidamente o Grêmio respondeu. Aos 17, Alisson cobrou falta no lado esquerdo da área e Everton bateu bonito de primeira para empatar. E, quatro minutos depois, foi a vez de Alisson aproveitar bela jogada individual de Cebolinha para empurrar para o gol vazio de Weverton.

Marcello Zambrana/AGIF
Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

O Palmeiras se lançou desesperadamente para o ataque, correu riscos de contragolpes, mas insistiu demais em lançamentos longos e cruzamentos. A pouca criatividade irritou a torcida, enquanto Felipão mostrou insatisfação com o lado psicológico dos atletas.

Técnicos pilhados quase "atropelam" substituições

Felipão e Renato Gaúcho, como esperado, foram protagonistas à beira do campo. Pilhados desde o começo da partida, deram broncas estridentes nos comandados - o palmeirense pedia por calma e chegadas mais firmes na marcação, enquanto o gremista se irritava com erros técnicos nos contra-ataques.

Mas essa da pilha da dupla chegou a afetar até as substituições que foram feitas. Cada um, por duas vezes, ensaiou fazer uma mudança e, alertados sobre o estado de outros jogadores, desistiu ou segurou por mais tempo a troca. Foi assim nas entradas de Pepê, Zé Rafael e Raphael Veiga e na "quase entrada" de Diego Tardelli, que substituiria Cebolinha.

FICHA TÉCNICA:
PALMEIRAS 1X2 GRÊMIO

Local: Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data/Hora: 27 de agosto de 2019, às 21h30
Árbitro: Néstor Pitana (Argentina)
Assistentes: Hernán Maidana e Ezequiel Brailovsky (ambos da Argentina)
VAR: Daniel Fedorczuk (Uruguai)
Público/Renda: 34.541 pagantes/R$ 1.847.047,50
Cartões amarelos: Marcos Rocha (Palmeiras); Maicon, Matheus Henrique, Jean Pyerre, Alisson e Geromel (Grêmio)
Cartão vermelho: Paulo Turra (auxiliar do Palmeiras)

Gols: Luiz Adriano aos 15 minutos do primeiro tempo (Palmeiras); Everton aos 17' e Alisson aos 21 minutos do primeiro tempo (Grêmio)

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha, Luan, Gómez e Diogo Barbosa; Thiago Santos, Bruno Henrique (Raphael Veiga) e Gustavo Scarpa (Zé Rafael); Willian (Deyverson), Dudu e Luiz Adriano. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

GRÊMIO: Paulo Victor; Leonardo, Geromel, Kannemann e Cortez; Maicon (Rômulo), Matheus Henrique, Alisson (Diego Tardelli), Jean Pyerre e Everton; André (Pepê). Técnico: Renato Gaúcho.