Topo

Inglês - 2019/2020


Lucas marca, Jesus tem gol anulado, e Tottenham empata com City

Lucas Moura comemora após marcar pelo Tottenham contra o Manchester City - /Phil Noble/Reuters
Lucas Moura comemora após marcar pelo Tottenham contra o Manchester City Imagem: /Phil Noble/Reuters

Do UOL, em São Paulo

17/08/2019 15h26

Manchester City e Tottenham só empataram por 2 a 2, hoje (17), na segunda rodada do Campeonato Inglês. Sterling e Agüero marcaram pelo time de Pep Guardiola, mas Lamela fez o seu ainda no primeiro tempo. O brasileiro Lucas Moura deixou o banco e selou a igualdade no Etihad Stadium. No fim do jogo, Gabriel Jesus teve um gol anulado após toque da bola no braço de Laporte.

Embora a temporada da Premier League ainda esteja no início, o resultado impediu as duas equipes de continuarem igualadas aos líderes Liverpool e Arsenal, que já venceram duas vezes. O City ficou na terceira colocação com os mesmos quatro pontos do Tottenham, que está em quinto.

De Bruyne deu duas assistências e foi o destaque do time anfitrião. Os gols de Sterling, em cabeceio aos 20 minutos, e de Agüero, com chute rasteiro aos 35 do primeiro tempo, contaram com cruzamentos do meio-campista belga.

No intervalo entre os dois gols do City, no entanto, o Tottenham deu trabalho e empatou pela primeira vez com Lamela, que recebeu passe fora da área e finalizou com categoria, no cantinho do gol defendido pelo brasileiro Ederson, aos 23 do primeiro tempo.

Na etapa final, aos 11 minutos, foi do argentino Lamela a cobrança de escanteio que encontrou a cabeça de Lucas. O ex-jogador de São Paulo e PSG subiu mais alto do que o lateral Kyle Walker, responsável por sua marcação, e definiu o empate.

Dentre os brasileiros, Lucas foi mesmo o destaque. O atacante Gabriel Jesus entrou em campo como substituto de Agüero aos 21 do segundo tempo - momento em que o craque argentino se irritou e discutiu com Guardiola - e cabeceou para a rede, mas teve seu gol anulado. A arbitragem viu toque da bola no braço de Laporte na origem da jogada.

Carl Recine/Reuters
Imagem: Carl Recine/Reuters