Topo

Celso alerta Diniz por mau momento do Flu: 'Sem resultado, fica difícil'

Celso Barros concede entrevista coletiva no CT do Fluminense - FOTO DE LUCAS MERÇON/ FLUMINENSE FC
Celso Barros concede entrevista coletiva no CT do Fluminense Imagem: FOTO DE LUCAS MERÇON/ FLUMINENSE FC

Caio Blois

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

13/08/2019 14h13

O vice geral Celso Barros atendeu a imprensa após a apresentação do atacante Lucão. O assunto principal, claro, foi o técnico Fernando Diniz, que divide opiniões entre os torcedores. O dirigente mostrou preocupação com o momento do clube, negou boatos de demissão e fez um alerta ao treinador: os resultados precisam aparecer.

"Não conversamos com nenhum técnico. Li ontem que eu teria conversado com Mano, Dorival e Abel. Gosto muito deles. Mas não conversei com ninguém. Não vou falar que o Diniz está prestigiado. É um termo antigo. Usavam isso e demitiam no dia seguinte. O Fluminense está mal, mas o Diniz é o nosso treinador. Mas os resultados são importantes. Não tem jeito, é assim. Se pode jogar bem, mas fica difícil sem resultado", declarou.

Celso também comentou uma reunião que teve com o elenco e a comissão técnica. Nela, abordou o momento ruim da equipe e fez cobranças. Durante a conversa, o próprio Diniz foi claro sobre a relação. Para ele, todos precisam acreditar no trabalho, ainda que as coisas não estejam caminhando da melhor maneira.

"Nós conversamos. Ele falou algo importante: se não acreditar, cabe encerrar o ciclo. Ele é o nosso técnico. Está aqui conosco, vai continuar o trabalho. Eu fui criticado na eleição, porque fiz uma ponderação, estávamos perto da zona de rebaixamento. É claro que ele tem tempo, está aí desde o começo do ano. Nós só fizemos seis pontos desde que assumimos. Isso tem que mudar. Não acho que a gente tenha elenco para estar nessa situação, não acho que estejamos jogando para estar lá, mas é inevitável, o resultado é importante", disse o vice geral.

O vice geral, que cuida basicamente do futebol do clube na gestão Mário Bittencourt, comentou o panorama da equipe no Campeonato Brasileiro. Sobre reforços, admitiu a busca por um zagueiro em conversas com dirigentes do Internacional e do Palmeiras, e descartou a contratação de Fabiano, lateral do time paulista que também costuma jogar na zaga.

"Conversei com o Rodrigo Caetano. O Inter tem três duplas de zaga. Também liguei pro executivo do Palmeiras, ele disse que liberaria, pagaria x e pagaríamos outro pedaço. Os empresários demoraram e querem esperar até o final da janela para saber se há uma proposta. Agora também mesmo que não tenha nada nós não queremos mais. Seguimos em busca de um zagueiro. Nos próximos dias devemos apresentar um, já que temos apenas três no elenco e um menino da base (Luan) completando os treinos".

Celso Barros também criticou o VAR e lembrou que é bastante cobrado nas redes sociais. O dirigente não fugiu de comentar o momento ruim na competição e não quis condicionar decisões no comando do futebol aos jogos contra CSA e Avaí.

"Não acho que temos elenco para estar nessa situação. É preocupante. Fizemos questão de falar e acreditamos em todo grupo que vamos sair disso juntos. Eu não vou condicionar a esses dois jogos. O fato é que em 14 jogos o resultado é ruim. É importantíssimo vencer os dois jogos. É obrigação vencer sempre. Pedi essa reunião. Queria conversar com atletas e comissão porque estamos num momento ruim. Estamos em 16º e temos cinco pontos atrás do 15º, que tem 17 pontos. Se vencermos o CSA não sairemos do lugar. É o momento de redobrar o comprometimento em campo. Na minha experiência no Brasileirão, já estive dos dois lados: vi o Fluminense bicampeão brasileiro e também lutar para não cair. Tem que jogar todos os jogos como se fosse o último.

Fluminense