PUBLICIDADE
Topo

Série C - 2019

Polícia investiga morte de torcedor após invasão a estádio na Série C

Jogadores do Globo FC antes de partida contra o Botafogo-PB, no estádio Barretão - Rhuan Carlos/GloboFC
Jogadores do Globo FC antes de partida contra o Botafogo-PB, no estádio Barretão Imagem: Rhuan Carlos/GloboFC

Marcello De Vico

Do UOL, em Santos (SP)

12/08/2019 18h25

A Polícia Civil do Rio Grande do Norte investiga a morte de um torcedor do Botafogo-PB no jogo contra o Globo-RN, sábado (10), em Ceará-Mirim (RN), pela Série C do Brasileiro. Eduardo Feliciano, que era integrante de uma organizada do Belo, foi vítima de lesão corporal, de acordo com o Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep), órgão vinculado à Polícia Civil do RN.

Eduardo Feliciano foi um dos vários torcedores do Botafogo-PB que pularam o muro do Barrettão para tentar assistir ao jogo de graça (veja o vídeo mais abaixo). Houve confronto entre torcedores do Belo e a Polícia Militar dentro e fora do estádio. Assim que eles invadiram o estádio, a PM precisou agir e houve disparos de balas de borracha e uso de spray de pimenta.

Na versão de familiares e testemunhas ligadas à vítima, entre elas membros da organizada Fúria Independente, Eduardo se deparou com policiais dentro do estádio e retornou para as ruas. Ao pular o muro de volta, encontrou mais integrantes da PM e acabou espancado.

De acordo com o Itep, Eduardo Feliciano sofreu uma lesão que rompeu a artéria cardíaca, o que causou uma hemorragia. O instituto agora tem 30 dias para a conclusão do laudo, que irá apurar se o torcedor havia feito uso de drogas e álcool. Porém, já foi descartado que a morte poderia ter sido provocada por overdose.

"Na necrópsia foi verificado que o coração tinha uma laceração muito grande que levou a uma parada cardíaca. A morte foi provocada por lesões corporais que levaram ao trauma cardíaco, que levou a vítima a óbito. Foram solicitados outros exames complementares, exames de dosagem alcoólica, toxicológicos, para verificar se realmente existem indícios que a vítima tinha usado droga, e a quantidade dessa droga para verificar a circunstância que aconteceu essa situação de lesão", disse Marcos Brandão, diretor do Itep, em entrevista à TV Ponta Negra.

"Os exames demoram algum tempo porque vai para laboratório, mas quando tiver esse resultado se fecham as circunstâncias que foram determinantes para ocasionar a morte da vítima. Mas, de modo imediato, com o laudo necroscópico, pode-se determinar que foram lesões corporais que provocaram a ruptura do músculo cardíaco", acrescentou.

Eduardo Feliciano, torcedor do Botafogo-PB que morreu em jogo contra o Globo-RN, em Ceará-Mirim (RN) - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução
A Polícia Militar do Rio Grande do Norte só irá se pronunciar sobre o caso depois da Polícia Civil, mas, segundo apurou o UOL Esporte, já foi instaurado um inquérito administrativo para apurar 'eventuais excessos' dos policiais.

Eduardo deu entrada no hospital Doutor Percilio Alves, em Ceará-Mirim (RN), por volta das 20h do sábado, 45 minutos depois do apito inicial da partida - que terminou com vitória por 3 a 0 do Botafogo-PB. A invasão ao estádio teve início cerca de meia hora antes do começo do jogo.

O clube paraibano soltou uma nota oficial e lamentou a morte do torcedor: "O Botafogo Futebol Clube vem a público lamentar profundamente a morte do torcedor Eduardo Feliciano Justino da Silva, 27 anos, em Ceará-Mirim, Rio Grande do Norte. O clube foi informado que o torcedor foi acompanhar o Belo no estado vizinho e morreu em um hospital de Ceará-Mirim após ser socorrido pelo Samu até a unidade. O Botafogo se solidariza com amigos e familiares à medida em que cobra esclarecimentos das autoridades sobre a morte do torcedor".

Através do Instagram, o Globo-RN, dono do estádio, também lamentou a morte de Eduardo e ressaltou que o confronto aconteceu na parte externa do Barretão.

Série C - 2019