PUBLICIDADE
Topo

Fluminense

Torcedores do Peñarol seguem no RJ após 4 meses de briga com rubro-negros

Torcedores do Peñarol foram detidos após assaltarem e agredirem rubro-negros - Silvia Ribeiro/UOL
Torcedores do Peñarol foram detidos após assaltarem e agredirem rubro-negros Imagem: Silvia Ribeiro/UOL

Alexandre Araújo e Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

30/07/2019 12h00

O Peñarol, do Uruguai, volta ao Rio de Janeiro quase quatro meses após torcedores serem detidos por conta de uma briga antes da partida contra o Flamengo, pela fase de grupos da Libertadores. Desta vez, o confronto será com o Fluminense, pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana.

O duelo contra o Rubro-Negro aconteceu no dia 3 de abril, no Maracanã, e a derrota da equipe carioca dividiu as manchetes com uma confusão generalizada que aconteceu no Leme, bairro localizado na Zona Sul do Rio de Janeiro, e que terminou com diversos torcedores uruguaios detidos pela Polícia Militar do Rio. No total, 151 torcedores foram encaminhados ao Jecrim (Juizado Especial Criminal).

Espancado durante a briga, o rubro-negro Roberto Almeida, de 60 anos, teve ferimentos no crânio, devido a uma garrafada, e foi levado ao Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, onde esteve internado no Centro de Tratamento Intensivo (CTI). Almeida segue internado no Hispital Miguel Couto desde então.

À época, alguns torcedores uruguaios foram liberados, porém, Gianfranco Steffano, Dennis Oscar Viega Gonzalez e Fernando Segundo Carreño Tucce seguiram presos e respondem pelo crime de lesão corporal com risco de morte. No dia 11 do mês passado, eles tiveram a prisão preventiva substituída por medidas cautelares.

No caso de Gianfranco Steffano, além das medidas cautelares, houve ainda a necessidade de pagamento de uma fiança no valor de R$ 50 mil. O Consulado do Uruguai se comprometeu a colaborar com a manutenção dos réus no país, enquanto o caso tramita.

Atualmente, eles sobrevivem no Rio com recursos próprios. Além de ajuda das respectivas famílias, a torcida do Peñarol se cotizou para angariar capital para que eles conseguissem se manter, além do pagamento da fiança. A permanência na cidade e em endereço fixo foram condições impostas para que eles fossem colocados em liberdade.

Hoje (30), novamente um duelo decisivo no Maracanã que envolve o Peñarol. A partida contra o Fluminense será às 21h30 e vale vaga nas quartas de final da Sul-Americana. O Tricolor tem vantagem depois da vitória por 2 a 1 fora de casa.

Como de costume, houve uma reunião para que medidas de segurança fossem discutidas. O caso de abril acendeu um alerta e foi levado em consideração, porém, a expectativa é de que, desta vez, venham menos uruguaios acompanhar o duelo.

Fluminense